Não adianta odiar a CPI da Covid e continuar elegendo figuras como Renan Calheiros

O andamento da CPI da Covid, precisamente a forma como ela está sendo conduzida, vem despertando a repulsa em boa parte da população, uma vez que aos olhos mais atentos o objetivo ali proposto passa longe de qualquer investigação intelectualmente honesta acerca dos fatos envolvendo a gestão da pandemia no Brasil. Mas a questão é: quem colocou Renan Calheiros, Omar Aziz e Randolfe Rodrigues no Senado Federal?

Antes de odiar a politização da CPI, e tudo o que ela transmite de imoralidade às custas de milhares de mortos em nome do poder, é preciso analisar o grande cerne da questão: ela não estaria acontecendo – ao menos não da forma como está – se os políticos que hoje lá estão não tivessem sido eleitos pela população.

O sentimento de vergonha alheia do Brasil, indignação e imoralidade é real, mas a verdade precisa ser dita e tratada ao pé da letra: os senadores que hoje criticamos só estão lá porque foram eleitos, o que significa que a culpa desse show de horrores em que se transformou a CPI da Pandemia é sim, também, da própria população.

Pessoas como Renan Calheiros e Omar Aziz só estão agindo conforme às suas índoles e seus históricos, os quais já falavam por si. Todavia, mesmo com um passado depondo contra eles, ainda assim foram eleitos e hoje estão lá, agindo como “representantes do povo”, colocando pessoas extraordinárias como a Dra. Nise Yamaguchi em situação deplorável diante de pares que são iguais a eles.

O que esperavam que fizessem? Que eles dessem flores aos depoentes e os tratassem com dignidade? Ora, já diz o dito popular que só damos aos outros aquilo que temos, certo? Portanto, não há como esperar coisa boa de quem possui um passado relacionado a coisas suspeitas – para dizer o mínimo.

Agora, o que resta à população é colocar a mão na consciência e reavaliar suas escolhas políticas. Se você foi prejudicado pelas medidas ditatoriais impostas por governadores e prefeitos, tem consciência das falcatruas que resultaram em desvios bilionários da saúde e da politização medíocre acerca dos tratamentos, o seu dever moral é expurgar figuras como Calheiros, Aziz, Randolfe, Otto Alencar e outros da política brasileira.

É para isso que servem às eleições! A resposta da população deve vim através das urnas, democraticamente, para que cenas como as que temos visto na CPI dos Horrores não se repitam e não sirvam para atrapalhar ainda mais os poucos que realmente lutam por um Brasil melhor, bem diferente das figuras medíocres que hoje envergonham o país aos olhos do mundo.