“Fake News anteriores jamais foram questionadas”, diz Janaína ao criticar politização

A deputada Janaína Paschoal (PSL-SP) usou suas redes sociais para informar que faz parte de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que tem por objetivo apurar os supostos casos de “fake news” no estado de São Paulo.

Contudo, ela sugeriu que durante às suas investigações tem constatado que o assunto, de fato, foi politizado, sendo transformado em uma arma de ataque contra a direita dentro e fora do Brasil.

“Integro a CPI das Fake News na Alesp, por isso estou acompanhando de forma mais detida os trabalhos em Brasília, bem como os debates teóricos em torno do assunto.
Quanto mais me aprofundo no tema, mais me convenço de que as tais Fake News só passaram a ser vistas como problema, depois que a direita chegou ao poder nos EUA e em outros cantos do mundo, incluindo o Brasil”, afirmou Janaína.

“As Fake News anteriores jamais foram questionadas, sequer eram vistas como Fake News.
Eu fico muito confortável para apontar esse fato, pois sou vítima de narrativas, tanto por parte da esquerda, como por parte dessa direita que galgou o poder”, completou.

Não é surpresa

A constatação de Janaína é notória para quem lida com a informação há anos dentro e fora do Brasil, não sendo, portanto, nenhuma novidade.

A importância da sua declaração está no fato de ser uma manifestação feita por alguém de peso no mundo jurídico e político nacional, de modo que não se trata de uma simples opinião, mas o entendimento de uma pessoa capacitada e reconhecida pela capacidade de fazer críticas honestas sobre os mais diversos assuntos, inclusive contra o governo.

Mas, para quem acompanha os noticiários, a produção de notícias falsas não é algo recente e se trata de uma prática observável tanto na direita como na esquerda. A diferença, como bem pontuou Janaína, está na evidência sobre o assunto em razão de interesses políticos.

Uma vez que a direita está no poder e o governo possui força através dos meios de comunicação alternativos, a esquerda e oposição (o que inclui o “centrão”) em geral utiliza a narrativa de combate às fake news como arma política, a fim de minar a militância pró-Bolsonaro.

Na prática, no entanto, o que existe é uma ação de ênfase política que coloca sob ameaça a liberdade de opinião, expressão e militância política no Brasil, sendo o mundo virtual o principal e maior espaço desse novo ativismo político que, na verdade, beneficia tanto a direita como a esquerda.

Olá, Amados! Integro a CPI das Fake News na Alesp, por isso estou acompanhando de forma mais detida os trabalhos em…

Posted by Janaína Paschoal on Tuesday, July 21, 2020