General Heleno

Objetivo da Globo foi "desestabilizar o presidente Bolsonaro", diz general Heleno

"Não querem o bem do Brasil, desejam apenas a volta dos seus privilégios", disse o general.

30/10/2019 10h50
Por: Will R. Filho
"Não querem o bem do Brasil, desejam apenas a volta dos seus privilégios", disse o general. Reprodução: Google

O desabafo do presidente Jair Bolsonaro contra os ataques em série que vem sofrendo da oposição causou a indignação não apenas da população que lhe apoia, mas também dos ministros de Estado, como o general Augusto Heleno, que usou sua conta no Twitter para disparar contra a rede Globo.

"Rede Globo, sensacionalista, ignorou a ética, a honestidade intelectual e os fatos para tentar ligar o Pres Rep (sic) ao caso Marielle. Usou, levianamente, o depoimento de um porteiro, com o objetivo de desestabilizar o Pres Bolsonaro a qualquer custo", disse o general, responsável pelo Gabinete de Segurança Institucional da República.

Para o general Heleno, os ataques ao governo Bolsonaro visam criar uma situação de caos político no Brasil, para que ocorram manifestações semelhantes às do Chile. "Tentam criar fato político q desestabilize o País e fomente violentas manifestações, como as q ocorrem em outros países da América Latina", disse ele.

"Não querem o bem do Brasil, desejam apenas a volta dos seus privilégios. O povo brasileiro não permitirá q atinjam seus nefastos propósitos", completou o general.

A reação de Heleno na manhã dessa quarta-feira (30) é resultado de uma matéria veiculada pela Globo no Jornal Nacional, onde o presidente Bolsonaro foi associado ao caso da ex-vereadora Marielle Franco, assassinada no ano passado. O presidente fez uma live no Facebook desabafando sobre o caso, criticando a militância da imprensa e, indiretamente, fazendo um apelo à população pela união em prol do Brasil.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas