Marisa Lobo

[Ao vivo] Ativistas tentam impedir psicóloga Marisa Lobo de falar contra o suicídio

A psicóloga é alvo de ativistas que tentam censurar a sua palestra contra o suicídio em Santiago, no Rio Grande do Sul

21/09/2019 14h10Atualizado há 4 semanas
Por: Will R. Filho
Coletivo tenta impedir que Marisa Lobo palestre contra o suicídio em Santiago, no Rio Grande do Sul. Reprodução: Google
Coletivo tenta impedir que Marisa Lobo palestre contra o suicídio em Santiago, no Rio Grande do Sul. Reprodução: Google

A psicóloga Marisa Lobo, conhecida por se posicionar abertamente contra a agenda de esquerda no país, informou ao Opinião Crítica que está sendo alvo de uma tentativa de boicote pelo "Coletivo Sobre Elas", visando impedir uma palestra sua, pasmem - contra o suicídio - na Câmara Municipal de Santiago, no Rio Grande do Sul.

"Estão fazendo pressão para não deixarem acontecer a palestra", disse Marisa, informando que se trata de um movimento de estudantes do curso de psicologia da Universidade Regional Integrada (URI), provavelmente com o apoio de membros o Conselho Regional de Psicologia.

Marisa Lobo compartilhou o print de tela de um perfil no Instagram, onde é possível ler a articulação do movimento para censurar sua palestra. "Ola pessoal, viemos juntamente ao Coletivo Sobre Elas convidar a todes [sic] para que possam participar conosco de uma ação que será realizada no próximo sábado, 21/09, às 14h, na Câmara de Vereadores de Santiago", diz o texto.

A pessoa que faz a convocação faz acusações falsas contra a psicóloga Marisa Lobo, cunhadas em manchetes sensacionalistas que não correspondem aos fatos, especificamente no tocante à "cura gay", como segue:

"A ação é voltada à visita da psicóloga Marisa Lobo na cidade de Santiago. A mesma, é figura conhecida e polêmica, por pautar sua prática profissional contra os movimentos LGBT+, à favor [sic] da 'cura gay' por ter sido acusada, julgada e, posteriormente, absolvida de usar de suas crenças religiosas em suas práticas profissionais enquanto psicóloga", diz o texto.

Na sequência, a pessoa responsável pelo perfil revela ignorância sobre o tema "ideologia de gênero", que apesar de abordado em vários países do mundo, e por vários autores diferentes de renome internacional, diz não existir esse termo, mais uma vez usando essa narrativa como incitação ao protesto contra Marisa Lobo.

"Além disto, se coloca contra a suposta 'ideologia de gênero' que além de ser um termo que não existe, vai contra toda e qualquer discussão e reflexão acerca das questões de gênero, sexualidade e da necessidade, cada vez mais real, de ter esse tipo de reflexão em todos os espaços, especialmente no âmbito escolar", diz o perfil.

Como se tais afirmações falsas não bastassem, a pessoa que incita a tentativa de censura diz que a psicóloga Marisa Lobo teria dito que o suicídio é cometido por "falta de Deus", quando o que a profissional ensina em suas palestras é justamente o contrário:

"Eu procuro desconstruir essa ideia, exatamente para derrubar o mito de que pessoas religiosas e de fé não estão sujeitas à depressão e ao suicídio", disse Marisa. "Essa pessoa levanta uma calúnia a meu respeito, fazendo afirmações irresponsáveis para provocar intriga contra mim".

No Instagam, a representante do Movimento Sobre Elas afirma: "Nesta vinda, Marisa Lobo falará sobre suicídio e, dentre material pesquisado por nós, encontramos a fala de que o suicídio é a 'falta de Deus' na vida das pessoas".

"Por tudo exposto, consideramos inadmissível a existência de profissionais que defendam as pautas que ela defende, especialmente por ser contra tudo aquilo que está em nosso código de ética e que aprendemos a trabalhar contra durante nossa formação. ???? Nos encontraremos em frente a Câmara a partir das 13h30", conclui a convocação.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas