Ativismo LGBT

Travesti ensina erotismo para crianças e psicóloga reage: "Ativismo anarquista"

Psicóloga Marisa Lobo ficou revoltada, após assistir um vídeo em que uma travesti ensina dança erótica para crianças

05/09/2019 20h49
Por: Will R. Filho
Fonte: Life Site News / Opinião Crítica
Psicóloga Marisa Lobo ficou revoltada, após assistir um vídeo em que uma travesti ensina dança erótica para crianças
Psicóloga Marisa Lobo ficou revoltada, após assistir um vídeo em que uma travesti ensina dança erótica para crianças

Uma drag queen no Reino Unido foi gravada na sessão infantil de uma biblioteca, ensinando crianças à dançar "twerking", um termo em inglês que traduzido livremente significa "se retorcer feito um idiota". Os movimentos da "dança", contudo, sugerem claramente um ato sexual.

Mama G é uma travesti que “apareceu em bibliotecas, teatros, livrarias e cafés em todo o Reino Unido”, de acordo com a companhia de teatro Petite Pantos. Às bibliotecas de Devon, Inglaterra, abriram o espaço para a apresentação da travesti em um evento chamado “compartilhando histórias que comemoram ser quem você é e amar quem você deseja”.

Na gravação feita em uma dessas apresentações, Mama G aparece ensinando a dança: "Tudo o que você precisa fazer é apenas ficar em pé com os pés afastados na largura dos ombros, assim... e então você se agacha nesse tipo de posição, para ficar de barriga para fora", diz Mama G.

A travesti pergunta se o público "estava entendendo tudo... então você apenas move seu bumbum para cima e para baixo dessa maneira. E isso é "twerk", diz ela. 

Psicóloga faz alerta

A psicóloga Marisa Lobo, autora de vários livros sobre ideologia de gênero e educação familiar, teve acesso ao vídeo da travesti ensinando "twerking" para crianças na biblioteca. Segundo a profissional, eventos dessa natureza têm como objetivo subverter o entendimento das crianças.

"Até quando profissionais de educação, de saúde mental, vão apoiar essa tortura psicológica, esse abuso psicológico contra a criança? Até quando os gestores irão colocar seus interesses de militância, ativismo anarquista em detrimento à defesa da infância?", questiona Marisa.

"Como psicóloga, não posso assistir a isso sem me revoltar. Estão sim, subvertendo a infância, destruído a inocência da criança, transformando a criança em objeto sexual para contentar os adultos. Grupos LGBTTS perderam a noção do que significa proteger as crianças", acrescenta a psicóloga.

Para Marisa Lobo, os ativistas LGBTs estão usando crianças "para fins políticos, ideológicos e pessoais. Sim, a criança no mundo corre perigo, está sendo abusada psicologicamente, sendo arregimentadas para fortalecer a agenda LGBTT no mundo", disse ela.

"Eu entendo a luta LGBTT por direito ao respeito, porém não compreendo usar de forma vil, anticientífica a saúde mental de uma criança, manipulando, manipulando sua essência, para favorecer a existência de outras formas se escolhas de vida. Não, crianças não são cobaias, não podem ser tratadas com tal", destaca Marisa.

A psicóloga, que já sofreu vários processos por denunciar abertamente os erros do ativismo LGBT, especialmente nos Conselhos de psicologia, disse que não deixará de falar contra o que considera absurdo: "Ainda que a perseguição com meu nome e a desconstrução da minha profissão continue, nunca vou concordar com isso", conclui Marisa.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas