Professora da PUC

Professora da PUC diz para jogarem "ovos podres" em Sérgio Moro durante evento

Se comprovada a denúncia, Gisele Cittadino, professora da PUC, poderá responder por incitação à violência contra o ministro Sérgio Moro

28/08/2019 19h17Atualizado há 3 semanas
Por: Will R. Filho
A professora Gisele Cittadino aparece nas mídias do PT como uma grande defensora do ex-presidente Lula. Foto: reprodução / Google / PT
A professora Gisele Cittadino aparece nas mídias do PT como uma grande defensora do ex-presidente Lula. Foto: reprodução / Google / PT

Uma denúncia que circula nas redes sociais aponta que a professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), Gisele Cittadino, incitou os seus milhares de seguidores ao ato de agressão usando "ovos podres", especificamente contra o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

"Para quem quiser jogar uns ovos podres ou apenas vaiar, Sérgio Moro estará presente na inauguração da nova sede da Polícia Federal, em João Pessoa, na próxima sexta-feira (30/08), às 10:30 hs. O sigilo é grande, mas descobrimos. A nova sede fica na estrada para Cabedelo, a BR-230", teria postado Cittadino em sua conta no Facebook (destaque nosso).

A postagem parece ter sido apagada após a repercussão na internet, mas o print de tela (abaixo) registrou a suposta publicação de Gisele Cittadino. Uma pesquisa feita por esse portal confirmou que a mesma é uma fiel defensora do ex-presidente Lula, notável figura entre os militantes do Partido dos Trabalhadores (PT).

Gisele Cittadino é uma das autoras do livro "O Caso Lula", que defende o ex-presidente condenado pelo então juiz Sérgio Moro por corrupção. Em 2017, o site oficial do PT apresentou a professora da PUC como, pasmem, coordenadora do Programa de Mestrado e Doutorado da Universidade.

Na época, Cittadino foi uma das articulistas de um pedido de lançamento da pré-candidatura de Lula à presidência da República: "Chegou a hora do ex-Presidente Lula ir para o ataque”, disse ela. Tanto em suas redes sociais abertas ao público, como no site do PT, a professora é citada como uma das juristas mais atuantes na defesa dos interesses da sigla, demonstrando ser ela uma verdadeira ativista.

Se comprovada a publicação da professora contra o ministro Sérgio Moro, Cittadino poderá responder por incitação à violência, algo nada compatível com o cargo que ocupa, independentemente das suas posições político-ideológicas. Apesar de tudo, este é mais um caso de intolerância envolvendo o ambiente público, o qual deve ser severamente repudiado.

Atualização

Internautas que repercutiram o print de tela da publicação de Gisele Cittadino dizem que a conta da professora no Twitter também teria sido apagada por completo. Com uma pesquisa no perfil @GiseleCittadino é possível constatar o print de tela do que seria a conta da docente na rede social, com a descrição da sua função na PUC. Todavia, ao pesquisar o mesmo perfil, a conta já não existe mais.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas