Greenwald

Jornalista acusa marido de Greenwald de ter vendido drogas e se prostituído

Acusações foram baseadas em relatos de um informante chamado "Eduardo Pitbull", que conheceu o parlamentar no passado

05/08/2019 20h33
Por: Will R. Filho

Uma matéria publicada pelo jornalista Oswaldo Eustáquio fez revelações intrigantes sobre o deputado David Miranda, do PSOL, companheiro de Glenn Greenwald, editor do site Intercept Brasil, responsável pela série de reportagens que vem atacando os integrantes da operação Lava Jato.

Após afirmar que Glenn Greenwald teria feito filmes pornográficos com jovens carentes de uma favela no Rio de Janeiro, o jornalista dessa vez conseguiu contactar uma pessoa que contou detalhes sobre o passado de Miranda, o qual incluiria a venda de drogas em boates gays e prostituição.

Esse informante seria "Eduardo Pitbull, uma jovem gay do Rio de Janeiro que frequentava os mesmos lugares que David e chegou a ser convidado para atuar em um filme pornográfico pelo cachê de mil reais", escreve Eustáquio.

“Na época era muito dinheiro, era equivalente a uns cinco mil nos dias de hoje. Ele me convidou várias vezes", teria dito Eduardo, referindo-se a David Miranda.

Apesar da matéria ter sido publicada em um veículo jornalístico tradicional em Curitiba, o Agora Paraná, a redação do texto por vezes é confusa. Todavia, isso não compromete, necessariamente, a veracidade das informações. Em dado trecho o jornalista dá entender que Miranda seria o responsável por aliciar jovens carentes para filmes pornográficos.

"Amigo da dança Lacraia, o deputado David Miranda do PSOL, vendedores de drogas em gays no Rio de Janeiro, aliciava jovens por atuar como atores de direção em filmes caseiros, e os que realizaram seu marido por Glenn Greenwald pelo menos entre os anos de 2004 e 2008", diz a matéria.

"Não se afastando também da famosa rua Farme de Amoedo, em Ipanema, onde David fazia o ponto durante tardes no Rio de Janeiro. Com o dinheiro dos programas, é apresentado um apartamento em Copacabana, local que divide com as travestis que o escolhem com cocaína e ecstasy nas baladas gays e nas ruas", acrescenta o texto, que pode ser lido na íntegra aqui.

Oswaldo Eustáquio tem sido acusado por algumas mídias de divulgar "fake news" sobre Glenn Greenwald e David Miranda. Em uma publicação feita no dia 1, o jornalista afirmou que o editor do Intercept teria mentido sobre o estado de saúde da própria mãe, que sofre de câncer, para conseguir vistos de emergência a fim de visitá-la, nos Estados Unidos.

"Glenn mentiu sobre estado de saúde da mãe para conseguir vistos de emergência. Disse que ela está em estado terminal. Mas, Arlene Greenwald está se divertindo nas redes sociais. Desejo mais saúde a ela, mas essa mentira machuca os familiares de vítimas de câncer", escreveu Eustáquio.

Greenwald, no entanto, rebateu negando a informação: "Alguém pode dizer esse pedaço de lixo que as pessoas que estão morrendo de câncer têm a capacidade de digitar nas redes sociais? Você tem que ser a pessoa mais nojenta e mais doente do planeta para inventar que minha mãe não esta com uma doença terminal. Isso [sic] cara é lixo humano".

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas