Augusto Nunes

"A Folha hoje é um jornal em guerra", diz Augusto Nunes ao criticar ativismo

O jornalista de longa carreira criticou o ativismo praticado de forma cada vez mais escancarada pelo jornal Folha de São Paulo

03/08/2019 08h44
Por: Will R. Filho

O jornalista Augusto Nunes, famoso por seus anos de atuação a frente do programa Roda Viva, na TV Cultura, fez uma observação que chamou atenção dos internautas nesta sexta-feira, ao expor abertamente a militância político-partidária do jornal Folha de São Paulo.

Nunes citou como exemplo o anúncio recente da redução da taxa Selic para 6% ao ano, a menor da história, que não foi noticiada como sendo fruto das recentes políticas econômicas do governo brasileiro, mas sim de uma "tendência" internacional.

"Se a Folha fosse só um jornal, noticiaria a queda da Selic para 6% ao ano com a manchete TAXA DE JUROS É A MENOR DA HISTÓRIA", publicou o jornalista em sua conta oficial no Twitter, completando: "Optou por 'BRASIL E EUA ACOMPANHAM TENDÊNCIA E REDUZEM JUROS'.

"A Folha hoje é um jornal em guerra. E, qdo [sic] começa uma guerra, a primeira vítima é a verdade", concluiu Nunes. De fato, seguindo o raciocínio do jornalista, a Folha de S. Paulo tomou outra "pancada" também nesta sexta, após a publicação de uma Nota Oficial da Procuradoria Geral da União (PGR), desmentindo uma das suas matérias.

A Folha havia dito que o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da operação Lava Jato, poderia ser afastado do seu cargo após suposta "pressão" sofrida pela procuradora geral da União, Raquel Dodge, o que foi negado pela PGR. Para saber mais a esse respeito, leia: "Dodge emite nota desmentindo matéria da Folha de S. Paulo sobre Dallagnol".

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas