Isentosfera

A Isentosfera do jornalismo Brasileiro e a Batalha de Culloden na Escócia

A história nos ensina que neutralidade é a vala dos traidores

Política e Sociedade

Política e SociedadeAnálises sobre o cenário da política e assuntos de interesse público. Por: Heuring Motta - Teólogo e professor, especializado em Hermenêutica, Ciências Políticas e Logoterapia pela Universidade Católica de Salvador. É também colunista do Instituto John Owen. Casado e pai de uma filha.

19/07/2019 08h08Atualizado há 5 meses
Por: Heuring Motta
Imagem: reprodução / Poltrona nerd
Imagem: reprodução / Poltrona nerd
Estamos num tempo que ser neutro é sem dúvida um ato de traição à nação. Vivemos atualmente um contexto especial, estamos em guerra contra a esquerda que saqueou, desmantelou e aparelhou as Instituições públicas deste país. O nível de contaminação ideológico é sem prescindentes. Vai demorar décadas para ver alguma luz.
Na isentosfera que paira nomes como Lobão, Rodrigo Constantino, Carlos Andreazza, Vera Magalhães, Reinaldo Azevedo, Marco Antonio Vila - é o lugar da vala da história, do esquecimento e da irrelevância. São inimigos da nação e neste exato momento estão militando contra os brasileiros que desejam uma nação em Ordem e Progresso.
Se fazendo de ''críticos equilibrados'' do governo, e de tudo que (segundo eles) pertence a extrema direita, pousam de pessoas que ''desejam o bem'' do Brasil. Puro sofisma! Todos se lembram dos comentários antes das eleições para presidente do ''comentarista político'' da Jovem Pan, Carlos Andreazza - quando afirmava categoricamente que Bolsonaro não teria a menor chance, agora é um ''crítico construtivo'' do Ministro da Justiça Sérgio Moro em pelo ''bem da saúde'' da Constituição Brasileira.
O mesmo posicionamento ocorreu com o professor de história e comentarista, Marco Antonio Vila - que chamou de nazistas as últimas manifestações em favor da Lava Jato, da previdência e do presidente.
A neutralidade é traição e me lembra a famosa história da Batalha de Culloden, que aconteceu no dia 16 de Abril de 1746, entre as tropas do governo britânico e as forças da Escócia. Quase todos os clãs jacobitas da Escócia se uniram para colocar no trono da Inglaterra um descendente da dinastia dos Stuart.
A Batalha foi vencida de forma esmagadora pela Inglaterra, mas um detalhe desta história chama atenção. O Clã dos Mackenzie e dos Frasers assinaram um acordo de neutralidade antes da grande Batalha e assim não participaram da batalha. Depois da batalha o que aconteceu com estes clãs?
Foram considerados traidores da Coroa e massacrados, extintos pelo rei da Inglaterra. Foi o fim da cultura dos Highland Clans. Historicamente a neutralidade é considerada fraqueza, deslealdade, traição.
Com esta posição não estou imputando sacralidade ao governo de Jair Bolsonaro, ele tem falhas! O governo erra em alguns pontos, mas acerta em muitos. Mas ainda é muito cedo para fazer uma avaliação da gestão. Temos que aguardar estes 4 anos e depois estudar cada ponto das ações. Com prudência apontar as qualidades e defeitos - o que acertou e no que errou.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas