Paulo Amorim

[Vídeo] Paulo Henrique Amorim havia insinuado a morte "breve" de Bolsonaro

O vídeo foi trazido à tona novamente por internautas, após a morte do jornalista na madrugada da quarta-feira, 10 de julho

10/07/2019 10h24
Por: Will R. Filho
O vídeo foi trazido à tona novamente por internautas, após a morte do jornalista na madrugada da quarta-feira, 10 de julho
O vídeo foi trazido à tona novamente por internautas, após a morte do jornalista na madrugada da quarta-feira, 10 de julho

Um vídeo onde o jornalista Paulo Henrique Amorim aparece insinuando a morte "breve" do atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, voltou ao centro das redes sociais nesta quarta-feira (10), após o falecimento do ex-apresentador do Domingo Espetacular, da rede Record, vítima de um infarto fulminante na madrugada de hoje.

"O Bolsonaro é Palmeiras, Botafogo ou ele é Flamengo?", questiona Amorim na gravação, cantando em seguida um trecho do hino flamenguista: "Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer... breve!", disse ele, aparentemente, usando a canção para insinuar a morte rápida de Bolsonaro.

A reação dos internautas foi imediata, após a notícia da morte do jornalista esta manhã: "Se você chegou aqui após a notícia da morte do jornalista, veja só a ironia do destino...", comentou um na conta onde o vídeo foi postado.

Paulo Henrique Amorim era conhecido por sua voz icônica, sendo um dos mais renomados apresentadores do jornalismo brasileiro. Entretanto, ele também ganhou destaque nos últimos anos por seus posicionamentos políticos alinhados à esquerda.

Dono do blog Conversa Afiada, onde tecia críticas ao governo Bolsonaro e fazia apologia pró-Lula, Paulo Henrique Amorim se tornou alvo de críticas por sua militância, inclusive contra o então juiz da Lava Jato, Sérgio Moro.

Recentemente Paulo Henrique Amorim foi afastado do cargo de apresentador do Domingo Espetacular, da rede Record, após 13 anos no ar. Segundo rumores, o motivo do seu afastamento seria justamente por sua militância contra o governo, algo que teria desagradado a cúpula da emissora, sob o comando do bispo Edir Macedo.

Ponderação

A rivalidade social por questões políticas tem sido uma marca notável no Brasil. Todavia, é importante ressaltar para os que se diferenciam do fanatismo e alienação ideológica, por exemplo, da esquerda, que não é adotando a mesma postura dos adversários que o debate político no país terá avanço.

Os que desejam a morte dos outros colhem por conta própria os frutos desse desejo. Não é preciso comemorar esse fato, mas ao contrário disso, lamentar, visto que ele apenas demonstra o estado de alienação em que muitos se encontram, ao ponto de desejar o mal para o próximo em nome de divergências que deveriam se restringir apenas ao campo das ideias.

Dito isto, devemos lamentar a morte do jornalista Paulo Henrique Amorim e desejar aos seus familiares o consolo necessário nesse momento difícil. Aos demais, porém, fica a recomendação de nunca desejar o mal para o próximo.

Assista o vídeo abaixo:

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas