Tiriricagem

Crítica de Tiririca ao presidente Bolsonaro "é realmente uma palhaçada"

No terceiro mandato e com apenas um projeto aprovado, Tiririca quer ensinar como "fazer política"

02/07/2019 10h42
Por: Will R. Filho
No terceiro mandato e com apenas um projeto aprovado, Tiririca quer ensinar como
No terceiro mandato e com apenas um projeto aprovado, Tiririca quer ensinar como "fazer política"

Uma entrevista concedida pelo deputado Tiririca (PL-SP) deu o que falar na grande mídia, mas não com a ênfase correta. Curiosamente, o destaque sobre às declarações do "deputado-palhaço" foi justamente sobre o que deveria ser repudiado, e não promovido com ares de sabedoria.

Tiririca comentou sobre a atuação do presidente Jair Bolsonaro durante os seis primeiros meses de mandato, dizendo que “tá faltando a galera pra chegar [no presidente] e dizer: ‘Irmão, senta aqui. Cara, tu não é deputado, é o país, irmão. Assim não vai’. Se ele não sair do pedestal, ele vai ser o pior governo que já tivemos em todos os tempos”, afirmou Tiririca À Folha de S. Paulo.

O motivo da crítica? Para Tiririca, Bolsonaro não está fazendo "a política que é política”, que em outras palavras, significa negociar acordos com a Câmara dos Deputados para conseguir aprovar suas propostas.

"Eu quero que ele me diga o que é a política nova, qual é a política nova que eu não sei qual é. Ou ele faz isso que ele fez, e teve que recuar com o negócio das armas, já teve várias derrotas aqui, ou faz a política que é política”, afirmou o deputado-palhaço.

Tiririca: “A troca de favores tem que existir”

O deputado-palhaço não fez questão de ser discreto em sua forma maliciosa de pensar como a política deve ser feita. Defendendo sua opinião, o parlamentar chegou a dizer que “a troca de favores tem que existir”, referindo-se à condição para que a Câmara aprove propostas do governo.

“Se não tá voltando [ao velho modelo], tem que voltar, senão vai ser o pior governo que já passou pelo nosso país", disse Tiririca ao ser questionado sobre a forma como Bolsonaro está agindo. O parlamentar, no entanto, parece que fracassa em sua teoria, visto que já no terceiro mandato, só conseguiu aprovar apenas um projeto, e em conjunto com outros deputados.

Todavia, insiste tiririca:

“É troca de favores. Tem que existir, cara, tem que existir troca de favores [enfatiza as palavras com as mãos juntas]. To falando não aqui [aponta para o plenário], porque não jogo nessa pegada. Os caras me respeitam, não chegam me oferecendo nada, não me meto. Não to nem aí se eles fazem e se queimam ou não. Faço o meu e estamos conversados. Não é negócio de dinheiro, meu irmão, é diálogo, diálogo”, disse ele.

"É realmente uma palhaçada", diz psicóloga

A presidente estadual da sigla AVANTE no Paraná, a psicóloga Marisa Lobo, criticou as palavras do deputado Tiririca: É preocupante quando um político palhaço literalmente no sentido pejorativo da compreensão, vem a público ofender um presidente que não quer fazer acordões financeiros para que seja votado projetos de lei que beneficiam o Brasil", escreveu ela em sua rede social.

"É realmente uma 'palhaçada' esses oportunistas, que usaram como bandeira a humildade, falar em 'sair do pedestal' quando o que a frase quer dizer é: 'Se Bolsonaro não fizer acordos imorais, será o pior presidente'. E me pergunto pior pra quem? Para deputados e senadores corruptos, amorais, canalhas, antiéticos? Bem se vê que a intensão desses 'palhaços' é transformar a luta contra a corrupção em um circo de horrores", acrescenta a psicóloga.

"Tiririca, pra não ficar pior sua moral, não fica fazendo os Brasileiros passar em vergonha. Cala-te. Aliás, o nobre palhaço deputado, não tinham renunciado? Rompeu com sua palavra e voltou para fazer palhaçada no congresso? Volta as suas origens", conclui Marisa.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas