Militar preso

"Será julgado e condenado na forma da lei", diz Bolsonaro sobre militar pego com drogas

O militar estava em outro avião, dando apoio à comitiva do presidente Bolsonaro

26/06/2019 15h54Atualizado há 3 meses
Por: Opinião Crítica
Fonte: Com informações: Metrópoles / Natália Lázaro
O militar estava em outro avião, dando apoio à comitiva do presidente Bolsonaro
O militar estava em outro avião, dando apoio à comitiva do presidente Bolsonaro

O presidente em exercício, Hamilton Mourão (PRTB), defendeu que o militar da comitiva de Jair Bolsonaro (PSL) flagrado com 39 kg de cocaína ao desembarcar na Espanha, deve responder à luz do Código Penal e que, se fosse em outro país, “o rapaz pegaria pena de morte”.

“Isso é crime! Qual é a punição? Se fosse na Indonésia era pena de morte”, afirmou. Mourão garantiu que não houve falhas no sistema de segurança da presidência, pois o segundo-sargento identificado como Silva Rodrigues fazia parte de uma comitiva de apoio [estava em outro avião].

Sobre o caso específico, Mourão indicou que qualquer esclarecimento deve ser feito pelo Ministério da Defesa, responsável pela investigação do caso. Ele ressaltou a preocupação com o cenário de consumo e tráfico de drogas no Brasil e disse que “ninguém está imune”.

“Existe uma guerra às drogas no mundo. É uma coisa que há mais de 40 anos a gente vem assistindo e ela atinge todos os brasileiros”, finalizou.

Entenda o caso

Um militar da Força Aérea Brasileira (FAB) foi preso na Espanha por tráfico de drogas na terça-feira (25/06/2019). Ele era tripulante do voo que dava apoio à comitiva do presidente Jair Bolsoanaro, que participa da Cúpula do G20, no Japão.

Nesta quarta-feira (26/06/2019), autoridades espanholas informaram que o sargento, cujo nome não foi divulgado, foi flagrado com 39 quilos de cocaína divididos em 37 pacotes em uma mala de mão. O brasileiro foi detido no Aeroporto de Sevilha. Ele deixou a Base Aérea de Brasília no avião reserva da Presidência, com três tripulações.

Ao avaliar as condições nas quais o militar foi flagrado, Mourão considerou que o segundo-sargento preso deveria ter conexões no país europeu. “Não brotou da cabeça dele, há conexões ai”, indicou. “Ele não agiu apenas como ‘mula qualificada’”.

A comitiva de apoio à equipe presidencial fez escala na cidade espanhola antes de seguir para o Japão, onde Bolsonaro participará da reunião de líderes das 20 maiores economias do mundo, o G20.

O presidente Jair Bolsonaro comentou o caso na sua conta pessoal do Twitter (Metrópoles):

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas