Totalitárismo

Nossa liberdade ameaçada por porcos ditadores Estaduais.

Os vários relatos de abuso dos governos Estaduais, noticiados pelas redes sociais, retratam o drama do povo que ama sua liberdade, seus direitos e seus deveres.

Política e Sociedade

Política e SociedadeAnálises sobre o cenário da política e assuntos de interesse público. Por: Heuring Motta - Teólogo e professor, especializado em Hermenêutica, Ciências Políticas e Logoterapia pela Universidade Católica de Salvador. É também colunista do Instituto John Owen. Casado e pai de uma filha.

19/05/2020 10h35Atualizado há 6 dias
Por: Heuring Motta
Literal Mente
Literal Mente

Ser livre para garantir direitos e deveres, não é ser livre para destruir a nação, para criar o caos, a calamidade programada, o genocídio arquitetado. Os governos estaduais e municipais estão rasgando a Constituição Federal e se comportando como ditadores que exercem força física policial para vigiar e punir seus cidadãos.

Existe uma confusão sobre o exercício dos poderes, uma insegurança jurídica e um congresso omisso. Mas o bom cidadão, o patriota, aquele que ama seu país e quer ver ele crescer, prosperar - aquele que deseja que seu povo seja bem sucedido - este deve sempre preservar a ordem e promover a estabilidade da nação. Como bem disse Wilhelm Von Humboldt (pg 135, 2004): 

''A liberdade do cidadão sempre será limitada a partir de dois pontos de vista, a saber, ou da necessidade de organizar e garantir a constituição, ou do expediente de prover condições para existência moral e física da nação.''

Mas não se vê a reciprocidade dos governos estaduais e municipais. Diariamente às notícias dos abusos dos governos são denunciadas nas redes sociais. São centenas de vídeos de pessoas honestas, pagadores de impostos tendo seus direitos básicos sendo violados.

Mas não somente isto, estados e municípios violando leis federais, rasgando CF. Pessoas estão sendo presas nas praias. Veja o que diz o artigo 10 da nossa Constituição sobre as praias:

''Art. 10. As praias são bens públicos de uso comum do povo, sendo assegurado, sempre, livre e franco acesso a elas e ao mar, em qualquer direção e sentido, ressalvados os trechos considerados de interesse de segurança nacional ou incluídos em áreas protegidas por legislação específica.''

Nesta semana o Governador de São Paulo, João Dória (em disputa política com Bolsonaro) resolveu por decreto proibir o uso da hidroxicloroquina no Estado paulista. Observe, o mundo está usando o medicamento e colhendo resultados positivos, os Estados brasileiros que estão fazendo uso da medicação estão salvando vidas, fato!

Mas o governador do PSDB preferiu o caminho da sua vaidade e poder. Para impor sua vontade a qualquer custo, ele insinua que estaria ''salvando vidas'' ao restringir o uso medicação e a anulando radicalmente o direito de ir e vir do cidadão paulista.

João Dória é um péssimo exemplo de governo que não pensa na garantia da liberdade do seu povo, do seus direitos e do indispensável dever que tem um governante em manter a ordem e respeito pela Constituição Federal na democrática República.

Mas a desobediência não diz respeito somente a João Dória, existem vários governadores e prefeitos no Brasil que estão nesta posição caótica e totalitária. Tudo por causa da insegurança jurídica do STF que fragmentou as ações do Poder Executivo dando autonomia executiva aos estados e municípios para decidirem por si questões relacionadas às ações de isolamento e medicamento. 

A paciência do brasileiro chegou ao limite do limite e não tem muitas opções! Resta saber se o povo vai se conformar diante de todos os abusos, ou vai exigir mudanças significativas nas estruturas dos poderes.