Excesso de trabalho

Trabalhar por horas excessivas aumenta risco de derrame em pessoas abaixo de 50 anos

O risco de derrame, ou AVC, aumenta até 45% para pessoas que trabalham em excesso

25/06/2019 13h26Atualizado há 2 meses
Por: Opinião Crítica
Fonte: Neuro Science
O risco de derrame, ou AVC, aumenta até 45% para pessoas que trabalham em excesso
O risco de derrame, ou AVC, aumenta até 45% para pessoas que trabalham em excesso

Pesquisadores revisaram dados do CONSTANCES, um grupo de estudo francês de base populacional iniciado em 2012, para informações sobre idade (18-69), sexo, tabagismo e horas de trabalho derivadas de questionários de 143.592 participantes. Fatores de risco cardiovascular e ocorrências prévias de AVC foram anotados em entrevistas médicas separadas.

Os pesquisadores descobriram que: no total, 1.224 dos participantes sofreram derrames; 29% ou 42.542, relataram trabalhar longas horas; 10% ou 14.481, relataram trabalhar longas horas por 10 anos ou mais.

Os participantes que trabalham longas horas tiveram um risco 29% maior de acidente vascular cerebral, e aqueles que trabalham longas horas por 10 anos ou mais tiveram um risco 45% maior de acidente vascular cerebral.

Longas horas de trabalho foram definidas como trabalhando mais de 10 horas por pelo menos 50 dias por ano. Trabalhadores de meio período e aqueles que sofreram AVC antes de trabalhar longas horas foram excluídos do estudo.

"A associação entre 10 anos de longas horas de trabalho e acidente vascular cerebral parecia mais forte para pessoas com menos de 50 anos", disse o autor do estudo, o Dr. Alexis Descatha, pesquisador do Hospital de Paris, Versailles e Angers University e na França Instituto Nacional de Saúde, além de Pesquisa Médica (Inserm). “Isso foi inesperado. Mais pesquisas são necessárias para explorar este achado", completou.

“Eu também enfatizaria que muitos fornecedores dos serviços de saúde trabalham muito mais do que a definição de longas jornadas de trabalho e também podem estar em maior risco de acidente vascular cerebral”, disse Descatha. “Como médico, aconselho meus pacientes a trabalhar com mais eficiência e a planejarem seguir meu próprio conselho.”

Estudos anteriores observaram um efeito menor de longas jornadas de trabalho entre empresários, CEOs, agricultores, profissionais liberais e gerentes. Pesquisadores observaram que pode ser porque esses grupos geralmente têm maior flexibilidade de decisão do que outros trabalhadores.

Além disso, outros estudos sugeriram que os deslocamentos irregulares, o trabalho noturno e o estresse no trabalho podem ser responsáveis ​​por condições insalubres de trabalho.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas