Literatura

Best-seller "O livro negro da nova esquerda" desmascara pacote de mentiras da mídia

O livro negro da nova esquerda é um estudo vastamente documentado, com 112 obras citadas, em 609 notas de rodapé.

15/05/2020 14h47Atualizado há 2 semanas
Por: Opinião Crítica
Fonte: Amazon
Reprodução: Google
Reprodução: Google

Abortismo, indigenismo, ideologia de gênero, legalização das drogas, ecologismo, feminismo radical. Entenda o que está por trás dessas agendas! Best-seller em toda a América Latina, escrito pelos argentinos Nicolás Márquez e Agustín Laje, o "livro negro da nova esquerda", disponível em promoção aqui na Amazon, questiona os “dogmas” do progressismo revolucionário.

Um estudo vastamente documentado, com 112 obras citadas, em 609 notas de rodapé. Após a queda da União Soviética, em dezembro de 1991, muitos setores do mundo livre descansaram em um triunfalismo que trazia a sensação de que a utopia coletivista havia sido derrotada para sempre.

Apenas alguns poucos anos depois, porém, abraçando novas bandeiras e reinventando o seu discurso, uma espécie de neocomunismo passou a dominar a agenda política e, em grande medida, a mentalidade ocidental.

Os velhos princípios socialistas de luta de classes, materialismo dialético, revolução proletária e violência guerrilheira foram substituídos por uma inusitada salada intelectual promotora do “indigenismo”, do “ecologismo”, dos “direitos humanos”, do “garantismo penal” da “ideologia de gênero”, do “abortismo”, do “homossexualismo ideológico” e do “feminismo radical”.

Tudo isso como forma de rebelião contra o Ocidente e a “tradição heterocapitalista”. Toda essa mistura vanguardista se abriga sob pretextos da mais nobre aparência, tais como o igualitarismo, a inclusão, a diversidade e o direito das minorias. Esse discurso, contudo, não passa de maquiagem.

O que a Nova Esquerda de fato fez foi cooptar uma miríade de grupos marginalizados ou insatisfeitos para costurar uma gigantesca aliança de ódio e ressentimento contra os pilares da nossa civilização. Para conhecer melhor a verdade por trás desse processo de modelagem cultural, adquira o livro neste link.