Quarentena

VÍDEO: Comerciantes revoltados invadem prefeitura para cobrar ajuda por prejuízos

Os comerciantes pediram ajuda no enfrentamento da crise econômica provocada pelo fechamento dos comércios.

08/05/2020 15h41Atualizado há 3 semanas
Por: Will R. Filho
Comerciantes na prefeitura de Ilhabela. Reprodução: Google
Comerciantes na prefeitura de Ilhabela. Reprodução: Google

A situação econômica dos pequenos comerciantes do estado de São Paulo tem se agravado nos últimos dias, especialmente agora, após o governador João Doria anunciar que a quarentena irá vigorar até o próximo dia 31 desse mês.

Como uma das consequências disso, um grupo de comerciantes visivelmente indignados com a situação na região invadiu a Prefeitura de Ilhabela, no litoral paulista, na manhã desta sexta-feira (8).

O grupo chegou ao local pacificamente, mas em dado momento enfrentou dificuldades para entrar no local, o que terminou causando tumulto com os seguranças da prefeitura. O objetivo dos comerciantes foi falar com a prefeita, Maria das Graças Ferreira (PSD).

Os comerciantes pediram ajuda no enfrentamento da crise econômica provocada pelo fechamento dos comércios. Eles solicitaram uma linha de crédito capaz de suprir a demanda imediata dos seus estabelecimentos.

Por causa do princípio de confronto, Policiais Militares foram enviados ao local, mas ninguém sofreu qualquer dano e o grupo conseguiu entrar na prefeitura, sendo encaminhado para um espaço onde puderam aguardar a presença da prefeita.

Doria prorroga quarentena

Nesta sexta-feira (08) o governador de São Paulo, João Doria, prorrogou a quarentena no estado, o que poderá agravar ainda mais a situação dos trabalhadores.

“Teremos que prorrogar a quarentena até o dia 31 de maio. Queremos, sim, em breve juntos poder anunciar a retomada gradual da economia como, aliás, está previsto no Plano São Paulo", afirmou o governador em coletiva de imprensa.

"A experiência de outros países, e nós temos utilizado essas experiências aqui, mostram claramente o colapso da saúde e, quando isso acontece, paralisa tudo”, disse Doria.