Vice-presidente

Mourão volta a criticar Moro: "No ministério, é preciso responder ao presidente"

O vice-presidente fez a declaração em uma live transmitida nesta quinta-feira (07) com o Instituto Brasil 200.

07/05/2020 15h53Atualizado há 3 semanas
Por: Will R. Filho
General Mourão. Reprodução: Google
General Mourão. Reprodução: Google

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, definitivamente assumiu a bandeira do presidente Jair Bolsonaro no embate com o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro. O general já havia criticado o ex-juiz da Lava Jato pela forma como saiu do governo, e agora fez outra declaração contra ele.

“Não resta dúvida de que no imaginário da população, o trabalho do então juiz Moro foi digno”, afirmou Mourão, antes de completar: “Quando juiz, ele não tinha que responder a um comandante supremo. No Ministério, é preciso responder ao presidente da República.”

A declaração é claramente uma crítica ao ex-ministro. Mourão confirma a impressão de alguns aliados do Planalto, quando avaliam que Sérgio Moro pode não ter conseguido assimilar uma posição inferior a do presidente Jair Bolsonaro.

O vice-presidente fez a declaração em uma live transmitida nesta quinta-feira (07) com o Instituto Brasil 200. Na ocasião Mourão também voltou à alfinetar o ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, que suspendeu a nomeação feita por Bolsonaro de Alexandre Ramagem para a chefia da Polícia Federal.

“A Constituição é clara e coloca que os Poderes são independentes e harmônicos", afirmou Mourão. “Cada um tem de entender o tamanho de sua cadeira, é o que falta ao País." O vice-presidente já havia soltado uma indireta contra Morais, ao dizer que "cada poder tem seus limites". Veja mais aqui.

Ao saber da demissão de Sérgio Moro em 24 de abril, anunciada pelo próprio ministro em coletiva de imprensa, Mourão também criticou o ex-ministro. Ele "poderia simplesmente ter solicitado a sua demissão", disse o vice-presidente, segundo o Correio Braziliense