Caso Susy

"Desejo que vocês terminem no inferno!", diz ministro contra Drauzio e a Globo

"Imagino a dor da família da vítima, ao sofrer uma segunda injustiça!", observou a deputada Janaína Pachoal.

10/03/2020 18h23
Por: Will R. Filho
Reprodução: Google
Reprodução: Google

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, usou a sua rede social para se manifestar de forma contundente contra a Rede Globo e o médico Drauzio Varella, após a reportagem exibida no programa Fantástico sobre a condição dos presos transexuais, em particular do detento conhecido como "Susy".

"Não é juiz? Não é gente?! Você e marinho NÃO conseguem pedir desculpas! NÃO têm empatia ou compaixão com as crianças e famílias vítimas desse pedófilo! Continuem defendendo esse estuprador assassino, vocês se merecem. Antes que eu esqueça: desejo que vocês terminem no inferno!", afirmou Weintraub.

O nome "marinho" é uma referência aos proprietários da Rede Globo, utilizada com certa frequência pelo ministro quando o mesmo faz críticas aos conteúdos exibidos pela emissora, especialmente suas reportagens.

A declaração de Weintraub foi uma reação à nota publicada por Drauzio Varella, onde o médico explica que a sua função na reportagem sobre os transexuais presos não foi a de julgar seus crimes, mas estar lá, em outras palavras, apenas como médico.

"Há mais de 30 anos, frequento presídios, onde trato da saúde de detentos e detentas. Em todos os lugares em que pratico a medicina, seja no meio consultório ou nas penitenciárias, não pergunto sobre o que meus pacientes possam ter feito de errado", diz a nota, segundo o Correio Braziliense.

"No meu trabalho na televisão, sigo os mesmos princípios. No caso da reportagem, veiculada pelo Fantástico na semana passada (1º/3), não perguntei nada a respeito dos delitos cometidos pelas entrevistadas. Sou médico, não juiz", completa a nota.

Apesar dos argumentos do médico, muitos populares e também figuras públicas como a deputada Janaína Paschoal (PSL-SP) consideraram que a reportagem foi um erro, pois desconsiderou a repercussão da matéria sobre os familiares da vítima de Susy, um menino de 9 anos que em 2010 foi estuprado e morto em seguida pelo transexual.

"Imagino a dor da família da vítima, ao sofrer uma segunda injustiça! A pessoa algoz retratada como a vítima da história! Francamente! Solidariedade a esta família duplamente agredida! O discurso hipócrita, que domina os meios de comunicação, só torna mais difícil a vida das pessoas que apenas bradam por igualdade, respeitando os demais", escreveu a parlamentar em suas redes sociais.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Bloco responsivo Opinião Critica - 300x250- posição 03
Mais lidas