Covardia

Psicóloga defende Michelle após matéria da ISTOÉ: "Feminismo não defende a mulher"

"A indignação com a violência contra a mulher é apenas uma forma de manipulação midiática", afirmou Marisa.

02/03/2020 16h30
Por: Will R. Filho
Reprodução: montagem
Reprodução: montagem

Conforme noticiado pelo Opinião Crítica mais cedo, Michelle Bolsonaro foi alvo de mais uma matéria difamatória contra a sua pessoa, dessa vez publicada pelo diretor de redação da revista ISTOÉ, Germano Oliveira, ao insinuar que a primeira-dama teria cometido adultério contra o presidente Bolsonaro.

Ciente do fato, a psicóloga Marisa Lobo, que nesta segunda-feira esteve participando do programa Cidade Viva, na rede Bandeirantes, em Bacabal, saiu em defesa da primeira-dama, criticando o silêncio do movimento feminista e outras mulheres que, em dado contexto, deveriam se manifestar em repúdio ao jornalista.

"O feminismo a muito tempo não defende as mulheres, ou, no minimo, defende de forma seletiva ou lacradora. A indignação com a violência contra a mulher é apenas uma forma de manipulação midiática", escreveu Marisa em sua rede social.

"Se a mulher for recatada e do lar, gostar de filhos, for conservadora então, em vez de ser defendida ela é agredida de varias formas, inclusive com uma absurda difamação para tentar desconstruir a sua imagem, como faz a mídia com a primeira-dama Michelle Bolsonaro", completou.

Marisa, que é presidente Nacional do Movimento pró mulher, prestou solidariedade à Michelle e em contato com o Opinião Crítica informou que fará uma publicação repudiando a insinuação maldosa feita por Germano Oliveira contra a primeira-dama. Para entender em detalhes o caso, leia aqui.