Educação

"É um clamor da família brasileira", diz Damares sobre o ensino domiciliar

A proposta de regulamentação do ensino familiar é vista com bons olhos pelos pais preocupados com a doutrinação ideológica nas salas de aula.

12/02/2020 10h19
Por: Will R. Filho
Reprodução: Google
Reprodução: Google

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, apontou como breve o que milhares de famílias no Brasil esperam ser aprovado no país no atual governo: o ensino domiciliar, também conhecido como homeschooling.

Damares declarou na ultima sexta-feira (7) que espera que o Congresso aprove até junho o projeto que regulamentará essa modalidade de ensino no Brasil, segundo ela, um desejo de muitos. Atualmente cerca de sete mil famílias praticam o homeschooling.

"É um clamor da família brasileira, a família brasileira quer o homeschooling, eu acho que até junho a gente consegue aprovar essa proposta no Congresso", disse a ministra, segundo informações da Gazeta do Povo.

Ainda segundo Damares, a comissão especial criada para estudar a proposta do governo deverá discutir com rapidez o assunto. "Depois de votada na comissão, não precisa ir mais às demais comissões, vai direto para o plenário e nós estamos sentindo que o projeto foi muito bem recebido", declarou.

Ensino domiciliar

A proposta de regulamentação do ensino familiar é vista com bons olhos pelos pais preocupados com a doutrinação ideológica nas salas de aula. Eles enxergam no homeschooling uma forma mais segura de ensino para seus filhos. Muitos também argumentam a possibilidade de maior eficiência no ensino, já que ele é focado apenas nos filhos.

Outro argumento em favor do ensino domiciliar é a possibilidade de economia das famílias. Diante dos altos custos da educação privada e a conhecida precariedade do ensino público, o homeschooling é visto como uma alternativa a esses problemas, de modo que os pais podem se concentrar na eficiência do ensino, ao mesmo economizando.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.