Política

“Nós temos de olhar para os evangélicos, que votaram no Bolsonaro", diz Dilma

A influência dos evangélicos é uma preocupação crescente para a esquerda.

12/02/2020 08h55
Por: Will R. Filho
Dilma confirma a preocupação da esquerda com os evangélicos. Reprodução: Google
Dilma confirma a preocupação da esquerda com os evangélicos. Reprodução: Google

A preocupação do Partido dos Trabalhadores, especificamente a esquerda em geral, com o apoio dos evangélicos aos partidos e políticos conservadores está ficando cada vez mais explícita. Após o ex-presidente Lula demonstrar tal fato, dessa vez foi a ex-presidente Dilma Rousseff que fez uma declaração da mesma natureza em um evento internacional.

"Nós temos de olhar para os evangélicos, que votaram no Bolsonaro. Nós temos de discutir com aqueles que o defenderam porque acham e acreditam que a questão da segurança no Brasil é a questão central. E nós temos de tratar essa questão", disse ela, segundo informações do Gospel+.

Dilma esteve no Hay Festival Cartagena, um evento supostamente focado em cultura e responsabilidade social. Na ocasião, a ex-presidente impichada pela acusação de ter praticado irresponsabilidade fiscal não perdeu a oportunidade de repetir a enfadonha narrativa da oposição contra o atual governo.

"No Brasil o que você constata é a existência de um governo neofascista executando um programa neoliberal", disse ela. "As organizações de direita, de extrema direita, pela primeira vez apareceram claramente no cenário nacional", completou.

A influência evangélica

A declaração de Dilma Rousseff sobre a necessidade de aproximação com os evangélicos reflete a influência decisiva desse segmento nos rumos da política no país, que desde às eleições de 2014 vem conseguindo destacar políticos conservadores, resultando na eleição do presidente Bolsonaro em 2018.

No último dia 08, o presidente Jair Bolsonaro esteve no evento evangélico "The Send", no estádio Mané Garrincha, onde uma multidão de pessoas assistiu o seu discurso. Realizado simultaneamente também no Morumbi e no Allianz Parque, em São Paulo, o número de participantes estimado em 170 mil pessoas chamou atenção pela grande expressividade.

“Estou aqui porque acredito no Brasil e nós estamos aqui porque acreditamos em Deus”, disse Bolsonaro à multidão. “O Brasil mudou. Palavras antes proibidas começaram a se tornar comuns: Deus, família e pátria”. Assista abaixo:

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Municípios
Últimas notícias
Mais lidas