Desastre

Boeing 737 foi atingido por mísseis russos disparados pelo Irã, diz revista

As autoridades acreditam que um míssil russo, Tor-M1, conhecido pela OTAN como Gauntlet foi usado na operação.

09/01/2020 15h52
Por: Opinião Crítica
Fonte: R7
O avião teria sido atingido por um míssil modelo Tor-M1.
O avião teria sido atingido por um míssil modelo Tor-M1.

O avião ucraniano que caiu na quarta-feira (8) em Teerã minutos depois da decolagem pode ter sido atingido por acidente por mísseis de fabricação russa disparados pelo Irã, diz a revista americana Newsweek.

A publicação ouviu um oficial do Pentágono, um oficial sênior da inteligência dos Estados Unidos e um oficial de inteligência do Iraque, que disseram que o avião foi derrubado pelo sistema antimísseis do Irã.

A aeronave deixou de transmitir sinal minutos depois da decolagem e não muito tempo depois o Irã disparou mísseis em duas bases dos Estados Unidos no Iraque. As autoridades acreditam que um míssil russo, Tor-M1, conhecido pela OTAN como Gauntlet foi usado na operação.

A informação não foi confirmada oficialmente, mas as fontes militares da revista acreditam que a queda do avião foi um acidente.

O avião tinha 176 passageiros, sendo 82 iranianos, 63 canadenses, 11 ucranianos, 10 suíços, 7 afegãos e 3 alemães, além de 9 membros da tripulação. Todos morreram.

A agência de notícias Al Jazeera informa que a Ucrânia, país de origem da empresa Ukranian Airlines, também investiga a possibilidade de a aeronave ter sido abatida por um míssil de fabricação russa.

A agência cita uma fonte de alta patente militar, que diz que os investigadores ucranianos buscariam os destroços de um míssil de cruzeiro Tor M1.

Outra hipótese não descartada pela Ucrânia é a explosão de uma bomba em um ataque terrorista, a colisão com outro objeto voador ou a explosão de um dos motores.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.