Educação

Ministro sobre o Enem: "Tem que saber matemática, biologia, e não linguagem gay"

"Quem educa são os pais, eles fazem a diferença dentro de casa. A escola ensina a ler e escrever", disse o ministro da Educação.

07/01/2020 18h35
Por: Will R. Filho
"A escola ensina a ler e a escrever", disse o ministro da Educação: Google

Em reunião com o presidente Bolsonaro nesta terça-feira (07), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, falou sobre as mudanças promovidas no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) já em 2019, observando que em 2020 não será diferente.

Para Weintraub, o Enem não trará mais conteúdos ideológicos como nos anos anteriores, mas sim objetivos, focados nas matérias exigidas ao longo do ensino fundamental e médio, tais como português e outras.

"Quero que o Enem selecione as melhores pessoas para a gente e para a sociedade. Tem que saber matemática, biologia, química e não linguagem gay", exemplificou o ministro.

Weintraub elogiou a edição passada do Enem, que não apresentou erros técnicos ou críticas significativas quanto ao conteúdo, lembrando também das cinco universidades federais que foram criadas em 2019, um feito inédito na história do país.

"[Bolsonaro] é o presidente que mais criou novas Universidades em um ano de governo, com sua maioria na região do Nordeste. Tivemos um excelente Enem, sem polêmica, sério e com um maior índice de participação", disse ele.

Por fim, Abraham ressaltou que "quem educa são os pais, eles fazem a diferença dentro de casa. A escola ensina a ler e escrever. Ainda verei no Brasil o melhor engenheiro, o melhor cientista entre os melhores do mundo", finalizou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.