Educação

Governo rompe paradigma e retira o nome de Paulo Freire de plataforma do MEC

Desde 2002 Paulo Freire é considerado o "patrono" da educação no Brasil

28/11/2019 19h32
Por: Will R. Filho
Ministro da Educação já havia criticado o autor brasileiro. Reprodução: Google
Ministro da Educação já havia criticado o autor brasileiro. Reprodução: Google

O autor e professor Paulo Freire, considerado por muitos o "Patrono da Educação Brasileira" desde 2002, não é mais homenageado em uma plataforma do ministério que reúne informações sobre professores do ensino básico.

O antigo layout da plataforma fazia referência direta ao escritor, sendo chamada de "Plataforma Freire". Com a rejeição explícita do atual governo ao autor ligado à ideologia socialista, agora a página se chama "Plataforma Capes de Educação Básica".

Segundo informações do Blog de Jamildo, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) confirmou a mudança com a intenção de substituir o layout anterior.

Segundo o órgão, a ideia é “ampliar sua abrangência e atender a outros programas e ações relacionados à formação de Professores, não contemplados na ferramenta anterior, como as cooperações internacionais e a modalidade de educação a distância”.

Em agosto, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, criticou o mural com o rosto de Paulo Freire localizado no Ministério da Educação.

Antigo layout do portal fazia referência ao nome de Paulo Freire
Antigo layout do portal fazia referência ao nome de Paulo Freire. Reprodução: Google

 

Através do Twitter, Weintraub publicou a foto do mural com a seguinte legenda: “Não é feio de doer?”. Veja abaixo:

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas