Procurador-geral dos EUA autoriza investigação de suposta fraude eleitoral no país

O procurador-geral William Barr autorizou promotores federais em todos os Estados Unidos a buscar “alegações substanciais” de irregularidades de votação, se houver, antes que a eleição presidencial de 2020 seja oficialmente reconhecida, segundo Associated Press (AP).

Com base em informações da AP, Barr escreveu que as investigações “podem ser conduzidas se houver alegações claras e aparentemente críveis de irregularidades que, se verdadeiras, poderiam impactar o resultado de uma eleição federal em um Estado individual.”

Ele disse que quaisquer alegações de que “claramente não afetam o resultado de uma eleição federal” devem ser adiadas até depois que essas eleições sejam certificadas e os promotores devem abrir os chamados inquéritos preliminares.

Na prática, o objetivo é verificar não apenas se houve fraude, mas se ela foi suficiente para prejudicar o resultado geral das eleições, especialmente o presidencial.

Contudo, a autorização que abrange todo o país é uma vitória para Donald Trump e a sua equipe, pois se eles estiverem realmente certos das acusações que vêm fazendo contra a campanha de Biden, esse poderá ser o primeiro grande passo para uma reviravolta histórica.