Lula defende o governo comunista de Cuba e chama protestos de mera “passeata”

O ex-presidiário Luís Inácio Lula da Silva se posicionou com relação aos protestos que vêm ocorrendo em Cuba desde o último domingo. Segundo o líder esquerdista, o que está ocorrendo no país seria resultado do bloqueio econômico imposto sobre a Ilha pelos Estados Unidos, décadas atrás.

Lula, inclusive, minimizou a onda de violência dos agentes do governo contra os manifestantes, chamando de mera “passeata” os protestos. “O que está acontecendo em Cuba de tão especial pra falarem tanto?! Houve uma passeata. Inclusive vi o presidente de Cuba na passeata, conversando com as pessoas”, disse o ex-presidiário.

O que Lula afirmou, na verdade, é mentira. Não se trata de uma simples passeata, mas do que a imprensa mundial já reconhece como os maiores protestos desde o início da revolução comunista no país, décadas atrás. Além disso, já foram divulgados registros de feridos, presos e desaparecidos devido à onda de forte repressão estatal, segundo informações do 14YMedio.

Lula, no entanto, culpa os norte-americanos. “Cuba já sofre 60 anos de bloqueio econômico dos EUA, ainda mais com a pandemia, é desumano”, disse o petista. “Se Cuba não tivesse um bloqueio, poderia ser uma Holanda. Tem um povo intelectualmente preparado, altamente educado. Mas Cuba não conseguiu nem comprar respiradores por causa de um bloqueio desumano dos EUA.”

Alguns vídeos divulgados dos protestos, no entanto, desmentem Lula. Nas gravações é possível ver e ouvir claramente a população gritando por “liberdade” e “abaixo à ditadura”. Ou seja, o povo não está protestando contra os EUA e seu bloqueio econômico, mas contra o próprio regime comunista.

A escritora cubana Wendy Guerra, por exemplo, falou sobre a situação no seu país para o 14YMedia. “O que está acontecendo é que chegamos a um limite de resistência, de tolerância. O cubano já percebeu, pelas informações que tem nas redes sociais, que todo o suposto ideal revolucionário é amorfo e que nos manipulam há muitas décadas”, disse ela.

Homem ferido em protestos em Cuba
Homem ferido durante protestos em Cuba. A população disse que “eles o mataram”, se referindo aos agentes do governo. Reprodução: Google

Ela ainda ressaltou que “não há estrutura, não há economia, nem boa nem má, não há plano econômico”, e que “as pessoas estão literalmente morrendo de fome”. “Para comprar uma aspirina no mercado negro, que é onde ela aparece”, diz ela, “é preciso pagar mil pesos (US $ 40)”.

Na própria postagem de Lula, um internauta se identificou como cubano e rebateu o petista. “Sou cubano e a luta do povo cubano é pela liberdade. Liberdade negada por mas de 62 anos. Em Cuba quem pensa distinto ao Partido Comunista é preso, reprimido, demitido do trabalho. Você quere isso para o Brasil [sic]?”, disse ele.