A Food and Drug Administration (FDA) dos EUA, órgão que regulamenta o uso de medicamentos no país, emitiu uma autorização de uso emergencial para cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de pacientes hospitalizados com Covid-19.

As drogas – que são usadas para tratar a malária e outras condições – foram chamadas de cambiantes pelo presidente Donald Trump. Mas, até agora, existem poucas evidências científicas de que a cloroquina, ou sua hidroxicloroquina análoga intimamente relacionada, sejam 100% eficazes no tratamento do Covid-19.

O que aconteceu? A autorização veio em uma carta datada de sábado, mas o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA (HHS) reconheceu a ação do FDA em um comunicado de imprensa no domingo.

O FDA limitou o escopo de sua autorização aos medicamentos fornecidos pelo Estoque Nacional Estratégico. O HHS anunciou que duas empresas farmacêuticas – Bayer e uma divisão da Novartis – haviam doado os medicamentos para o estoque.

Os medicamentos funcionam? Em sua declaração, o HHS disse: “Relatos anedóticos sugerem que esses medicamentos podem oferecer algum benefício no tratamento de pacientes com COVID-19 hospitalizados. O perfil de segurança desses medicamentos foi estudado apenas para indicações aprovadas pela FDA, e não para o COVID-19″.

Embora haja evidências limitadas sobre a eficácia da cloroquina ou hidroxicloroquina, a FDA disse que os benefícios dos medicamentos superam seus riscos. Em sua carta, o FDA incentivou ensaios clínicos randomizados que pudessem avaliar a eficácia dos medicamentos. Também observou que os benefícios conhecidos e potenciais superam os riscos.

Quem os medicamentos podem ser usados ​​para tratar? A autorização é limitada a pacientes que estão atualmente hospitalizados e pesam pelo menos 50 kg, ou cerca de 110 libras. Sob a autorização de uso emergencial, os profissionais de saúde devem entrar em contato com o departamento de saúde local ou estadual para acessar os medicamentos. Com: CNN