“Rede Globo foi uma das TVs que mais promoveu o racismo”, diz psicóloga Marisa Lobo

Diversos movimentos pelo mundo protestam contra o racismo, motivados inicialmente pela morte do americano George Floyd, nos Estados Unidos, que foi vítima de uma abordagem policial truculenta.

Entretanto, a psicóloga Marisa Lobo lembrou que há também muito oportunismo nesse cenário, o que é lamentável, visto que a causa real perde o seu sentido quando enviesada por interesses ideológicos alheios ao preconceito racial.

“Não existe raça superior. Negros e brancos são iguais, [mas] essa igualdade tem que ser exigida a começar pelas tvs, que contratam poucos negros”, escreveu a psicóloga cristã, se referindo em seguida à Rede Globo, maior emissora do Brasil.

“Se essa discriminação tivesse sido resolvida, não presenciaríamos hoje tanta injustiça”, afirmou Marisa, “a tv tem culpa sim.” A presidente do partido Avante no Paraná deu exemplos de como a questão racial foi e ainda é abordada de forma tendenciosa nas emissoras.

“Historicamente aqui no Brasil a Rede Globo foi uma das tvs que mais promoveu o racismo. Suas novelas, sempre colocavam negros nos papéis de estuprador, ladrão, bandido, EMPREGADA DOMÉSTICA. Psicologicamente esse sentimento de inferiorização foi reforçado por estes papéis”, escreveu Marisa Lobo.

“A Rede Globo sofre de amnésia e tem hoje o que chamo de ‘formação reativa’ para esconder a promoção do racismo q praticou em suas antigas novelas. Hoje faz campanhas contra, mas não reconhece o ‘racismo litúrgico’ que ela mesma promoveu e praticou. Cadê os ‘intelectuais” para questionar?”, conclui a psicóloga.