“Direita precisa se unir por voto auditável ou será derrubada”, alerta Constantino

Na manhã de hoje (26/07), o ex-ministro da Saúde, Abraham Weintraub, entrou numa discussão com o influenciador e comentarista da Gazeta do Povo, Kim D. Paim. Ambos trocaram farpas após o economista fazer uma postagem que foi interpretada pelo influencer como se fosse uma indireta para o presidente Jair Bolsonaro.

O caso acabou gerando críticas de outras figuras importantes da direita brasileira, entre elas a do jornalista Rodrigo Constantino. Sem citar nomes, ele pediu união em prol do voto impresso no país, explicando que esse tipo de fogo amigo apenas fortalece a esquerda.

Rodrigo, de fato, está certo. Apoiadores do governo que possuem milhares de seguidores nas redes sociais entrando em conflito nesse momento não contribui em nada para o país. Erros sempre vão existir e a oposição já existe para explorá-los ao máximo. Fazer o papel da oposição é agravar ainda mais a situação.

O papel da direita deve ser o de exaltar os acertos. Os erros devem ter apontados, sim, mas de forma inteligente, construtiva, e não ofensiva, sarcástica ou irônica, como geralmente ocorre no mundo virtual. Para Constantino, não há nada mais importante no país nesse momento do que o apoio massivo ao voto impresso, visto que disso pode depender o resultado das eleições em 2022.

Apoio massivo exige união em prol de um só discurso. Desviar o foco agora em nome de certas “vaidades”, como disse o jornalista, pode custar muito caro lá na frente. Assista o vídeo onde Constantino faz suas ponderações, abaixo: