“Ideologia de gênero na escola deve ser crime”, defende presidente do PTB no PR

Recentemente indicada para assumir a presidência do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) no Paraná, a psicóloga suplente de deputado federal e escritora Marisa Lobo voltou a defender publicamente o combate à ideologia de gênero no ensino público. Mais do que isso, ela pediu a criminalização da pauta nas escolas do país.

“O Senado está fazendo uma consulta pública a respeito de tornar crime a ideologia de gênero nas escolas. Agora é o momento de mostrar a nossa força. Entre e vote! Compartilhe nos seus grupos cristãos. Ideologia de gênero na escola deve se tornar crime. Vote SIM”, defendeu Marisa em suas redes sociais, postando este link do Senado.

“Muito importante votar famílias. Temos que tornar essa pesquisa uma maioria esmagadora pelo SIM”, acrescentou a psicóloga. A ideologia de gênero tem sido uma das principais pautas na militância de Marisa Lobo, a qual já publicou livros como “Famílias em Perigo” para alertar a sociedade sobre o assunto.

A indicação da psicóloga cristã, como também é conhecida, para assumir o PTB no Paraná, partido presidido nacionalmente pelo ex-deputado Roberto Jefferson, defensor ferrenho do governo Bolsonaro, é um indicativo de que a escritora pretende aprofundar a sua pauta conservadora em uma eventual disputa eleitoral em 2022.

A indicação de Marisa Lobo para presidir o partido em seu estado foi anunciada pelo PTB em um comunicado pelas redes sociais:

“O PTB no Paraná está sob nova direção. A suplente de deputado federal Marisa Lobo filiou-se ao partido na última quinta-feira, 27 de maio, e foi firmada sua indicação ao cargo de Presidente da agremiação no estado pelo Presidente Nacional da sigla, Roberto Jefferson.”

De olho em 2022, PTB coloca "bolsonarista raiz" na presidência do partido no Paraná
Marisa Lobo e o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. Reprodução: Google