Deputada quer proibir propaganda com LGBTs por considerar não “adequada a crianças”

Uma deputada estadual parece ter resolvido comprar uma boa briga com entidades do movimento homossexual brasileiro, após criar e protocolar um projeto de lei que visa proibir qualquer tipo de propaganda que contenha personagens LGBTs.

Se trata da deputada

, da Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP). Segundo a parlamentar, campanhas publicitárias que trazem conteúdos LGBTs causam “desconforto emocional a inúmeras famílias, além de estabelecer prática não adequada a crianças”.

“A intenção é limitar a veiculação da publicidade que incentive o consumidor do nosso Estado a práticas danosas”, diz o projeto. Como era de se esperar, entidades em defesa das minorias já se manifestaram em repúdio à proposta, conhecida pelo projeto 504 de 2020.

Marta Costa é evangélica e conservadora, filha do pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, a maior denominação protestante do país em número de fieis.

A deputada Janaína Paschoal se mostrou favorável ao projeto, mas destacando uma alteração no texto, a qual substitui o termo “preferências sexuais” por “gênero e orientação sexual”. Ou seja, Janaína foca na questão da ideologia de gênero, o que se difere da questão homossexual.

Mas, parlamentares ligados à esquerda, por outro lado, reagiram negativamente ao texto. “Associar pessoas LGBTIs a essas características, pela sua condição, por simplesmente serem quem são, é, além de desumanizador, cruel”, disse o deputado transexual Erica Malunguinho, o primeiro trans eleito pela ALESP, em 2018.