Pondé: ‘Fechar restaurante tá fácil. Quero ver culhão pra fechar pancadão na favela’

O filósofo e escritor Luiz Felipe de Cerqueira e Silva Pondé, mais conhecido simplesmente pelo último nome, usou a sua rede social para criticar, indiretamente, o retorno de medidas restritivas no estado de São Paulo.

Para Pondé, “no Brasil quem age dentro da lei sempre paga a conta”, visto que o fechamento de comércios como bares e restaurantes só afeta, na prática, os estabelecimentos regulares, prejudicando milhares de famílias.

“Fechar shoppings, bares e restaurantes tá fácil. Quero ver culhão e logística pra fechar clandestinos, pancadão na favela, baladinhas em casa e bloquear todas as praias. No Brasil quem age dentro da lei sempre paga a conta”, disse o filósofo.

Os seguidores reagiram a publicação de Pondé. Um deles argumentou que a paralização das atividades comerciais estaria sendo usada para gerar uma crise capaz de afetar o governo federal. 

“Eu quero ver é não fechar nada q não seja ilícito e respeitar as liberdades individuais dos cidadãos. Lockdown é arbitrário, e ha 10 meses vem se mostrando ineficaz e + nocivo q o vírus. Mas tá difícil, a vontade de provocar uma crise que derrube o governo é grande demais [sic]”, escreveu o internauta.

Na última sexta-feira, o governador João Doria (PSDB-SP) anunciou que a partir desta segunda-feira (25) todos os comércios considerados “não essenciais” irão fechar a partir das 20h, segundo o Poder360.

Janaína volta a defender Bolsonaro: “No que depender de mim, não terá impeachment”