A campanha de exploração midiática sobre a pandemia do novo coronavírus parece estar perdendo fôlego, mas não é por acaso: ela acompanha a queda gradual do número de mortes por Covid-19 na Europa e em muitos outros países.

Os noticiários tradicionais que diariamente estampavam em tom sensacionalista o número crescente de mortos por Covid-19, agora não demonstram o mesmo interesse em noticiar o número cada vez MENOR de vítimas fatais da doença.

Adotando agora um novo sistema de relatórios, a Espanha, que antes era manchete nos noticiários com números alarmantes, informou na terça-feira que registrou apenas 35 mortes por Covid-19 nos últimos sete dias. Sim, você não leu errado: 35 MORTES EM SETE DIAS!

Na segunda-feira, a Itália, outro país que estampava a capa fúnebre de muitos jornais dentro e fora do Brasil, registrou 92 mortes diárias pelo coronavírus, a França 93 e a Bélgica 32. Na terça-feira, o Reino Unido registrou 134 mortes diárias, segundo informações da Agency Anadolu.

O governo espanhol também precisou fazer uma revisão no número de mortos pela Covid-19 e concluiu que quase 2 mil casos foram registrados acima do correto. Em vez de 29 mil, o país tinha na verdade 27.117 vítimas, uma grande diferença em se tratando de vidas humanas, certo?

Espanha, o país que antes buscava se fechar contra a pandemia, agora está preocupado com o turismo e já faz propaganda para tentar recuperar os seus prejuízos. “Marque a data no seu calendário e comece a planejar sua visita”, twittou o órgão oficial de turismo local. “A Espanha sente sua falta. Venha, estamos esperando por você.”

Ocultação e alarmismo?

Se nesse exato momento o leitor quiser informações sobre a redução dos números de mortos por Covid-19 no mundo terá dificuldades de encontrar nas grandes mídias tradicionais.

Em vez de números e manchetes claras, objetivas, encontrará textos enfatizando o aumento repentino em dias específicos – que não caracterizam aumento na estatística geral – e não a redução em um quadro geral.

A impressão que temos é de que a falta de esforço em querer noticiar a redução das mortes pelo coronavírus esconde a intenção de querer manter um clima de caos em países como o Brasil, onde a politização da pandemia tem servido como ferramenta para o desvio de recursos públicos da Saúde, o que é lamentável.