Alvo de grande debate no mundo inteiro, o uso da cloroquina para o tratamento do coronavírus ainda não possui consenso na comunidade acadêmica, mas muitos especialistas apontam a eficácia do medicamento através de centenas de casos onde ele foi utilizado, conforme já foi noticiado pelo Opinião Crítica.

Uma das pessoas que pode ter feito uso da cloroquina é o médico coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, infectologista David Uip, que ao ser questionado pelo apresentador Datena durante uma entrevista na segunda-feira (06), ao vivo, não respondeu se fez uso do medicamento, sugerindo a confirmação da suspeita.

“O senhor chegou a tomar esse medicamento ou não?”, perguntou o jornalista. “Olha, eu segui regiamente o que me foi prescrito e orientado. Então cabe aos meus médicos falarem de terapêuticos, eu não vou falar de terapêuticos”, respondeu, rindo, o médico.

Datena replica: “Tomou, então tomou. Numa hora dessa, o cara toma o que tem e se é protocolo, é protocolo. Se o ministério autorizou, então tomou”. 

Cloroquina nos EUA

A cloroquina é vista com esperança também nos Estados Unidos. A Food and Drug Administration (FDA), órgão que regulamenta o uso de medicamentos no país, como faz a Anvisa no Brasil, emitiu uma autorização de uso emergencial do medicamento no tratamento de pacientes hospitalizados com Covid-19.

A droga tem sido apontada também pelo presidente Jair Bolsonaro como um recurso importante no combate ao vírus, mas o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, tem tratado com cautela o assunto, se posicionando no sentido de que é preciso haver mais estudos sobre a eficácia do medicamento.

Abaixo, colocamos o depoimento de um médico sobre a declaração de Uip, acompanhado do vídeo gravado do Brasil Urgente: