O presidente Jair Bolsonaro reagiu a uma série de críticas feitas contra o seu governo ao longo do final de semana, em particular pela emissora Rede Globo, no tocante à pandemia do novo coronavírus no Brasil, a qual já vitimou mais de 100 mil pessoas até o momento.

A Globo fez reportagens com críticas claras contra Bolsonaro, insinuando que o presidente seria o principal responsável pelas mortes durante a pandemia, ignorando todas às ações já realizadas pelo governo, como à aquisição e distribuição de equipamentos médicos, bem como o investimento bilionário nos estados e municípios.

Citando uma pesquisa publicada pelo jornal britânico Daily Mail, Bolsonaro explicou que “no Reino Unido, o Departamento de Saúde estima que 16 mil pessoas morreram das mais diversas formas, por não terem acesso ao Sistema de Saúde, devido à pandemia, enquanto 25 mil morreram de Covid-19.”

“Conclui-se que o Lockdown matou 2 pessoas pra cada 3 de Covid no Reino Unido. No Brasil, mesmo ainda sem dados oficiais, os números não seriam muito diferentes. Lamentamos cada morte, seja qual for a sua causa”, destacou Bolsonaro.

“Quanto à pandemia, não faltaram recursos, equipamentos e medicamentos para estados e municípios. Não se tem notícias, ou seriam raras, de filas em hospitais por falta de leitos UTIs ou respiradores”, continuou o presidente.

Na sequência, Bolsonaro fez uma série de críticas, sem citar nomes, à “grande rede de TV”, o que foi interpretado pelos veículos tradicionais, a exemplo do UOL, como uma referência a Globo. De fato, considerando o contexto de divergências do presidente contra a emissora, não resta dúvida de que se trata da mesma.

“Muitos gestores e profissionais de saúde fizeram de tudo pelas vidas do próximo, diferentemente daquela grande rede de TV que só espalhou o pânico na população e a discórdia entre os Poderes”, disse Bolsonaro.

“No mais, essa mesma rede de TV desdenhou, debochou e desestimulou o uso da Hidroxicloroquina que, mesmo não tendo ainda comprovação científica, salvou a minha vida e, como relatos, a de milhares de brasileiros.

A desinformação mata mais até que o próprio vírus. O tempo e a ciência nos mostrarão que o uso político da Covid por essa TV trouxe-nos mortes que poderiam ter sido evitadas.

De forma covarde e desrespeitosa aos 100 mil brasileiros mortos, essa TV festejou essa data no dia de ontem, como uma verdadeira final da Copa do Mundo, culpando o Presidente da República por todos os óbitos”, concluiu o presidente.