Uma entrevista concedida pela médica oncologista Nise Yamaguchi nesta quinta-feira (09), para a rede CNN Braisl, chamou atenção logo no início pela forma como uma âncora da emissora, a jornalista Daniela Lima, recebeu a convidada e logo em seguida lhe respondeu.

Ao explicar aos telespectadores o teor da entrevista, Daniela tratou a defesa do uso da hidroxicloroquina no tratamento precoce contra o novo coronavírus como uma “pregação”, portanto, desmerecendo o caráter científico dos argumentos apresentados em seu favor, e isto antes da fala inicial de Yamaguchi.

“A gente segue falando sobre esse tratamento né… essa… essa pregação por tratar o novo coronavírus com hidroxicloroquina”, disse Daniela, também demonstrando uma aparência (semblante) de desaprovação sobre a questão.

Assim que iniciou a sua fala, Yamaguchi respondeu: “Eu estou dentro da área científica, não pretendo pregar nada. Vamos começar por esse fato.” Na sequência, a médica explicou que não é a única a defender o uso precoce do tratamento com a hidroxicloroquina, citando referências internacionais sobre o assunto.

Após retomar a sua fala, Daniela Lima se preocupou em tentar se explicar sobre o que disse inicialmente, na abertura da entrevista, mas querendo parecer respeitosa, na verdade, ela acabou aparentando arrogância em sua resposta.

“Só pra deixar claro, para a senhora não me interpretar mal. Eu estava apresentando o assunto, não a entrevistada. A entrevistada eu apresentei com as suas credenciais”, disse ela, emendando logo em seguida com outra fala, sem deixar espaço para qualquer resposta imediata de Yamaguchi.

Evidentemente, a nossa interpretação/opinião aqui diz respeito ao conjunto dos fatos e não apenas às palavras ditas por Daniela Lima. Levamos em consideração às suas palavras, mas também a sua expressão corporal, algo que todo comunicador sabe utilizar muito bem. O leitor, no entanto, pode fazer o seu próprio julgamento assistindo o vídeo abaixo: