Um método inovador criado por profissionais de saúde da rede privada Samuel, a maior do Amazonas, vem ganhando repercussão após às declarações de um médico que desafiou a comunidade científica.

“Nós estamos dizendo, aqui, que o mundo inteiro está errado, que a OMS e todas essas diretrizes estão erradas”, afirmou no fim da manhã do dia 10, o presidente do grupo, Luís Alberto Nicolau.

O profissional apontou que o método invasivo de ventilação, adotado no mundo inteiro, traz maior prejuízos para às vítimas do coronavírus.

A cápsula de ventilação criada pela Samel, por outro lado, evitaria que o paciente seja submetido a tais procedimentos, como a entubação precoce, que, para Nicolau, tem sido responsável por péssimos resultados.

“A Samel chama que mundo inteiro está errado em fazer a ventilação invasiva, precocemente, trazendo péssimos resultados de letalidade, infecções, hemodiálises e tudo mais que possa acontecer”, disse ele.

Nicolau rebate críticas sustentando a qualidade da sua equipe e que por causa da urgência de saúde, não há como perder tempo seguindo procedimentos burocráticos convencionais.

“Nós somos referência no tratamento da Covid-19, nos hospitais particulares. Nós temos hoje por volta de 50 pacientes internados. Anteontem, demos 13 altas, ontem nós demos 7, 13 altas para casa, ontem, 5 para casa e 2 saindo da UTI para os apartamentos”, afirmou o profissional neste vídeo.

“Nós não podemos parar o nosso pessoal para fazer paper. Nós temos aqui vários doutores, vários professores, várias pessoas com mestrado. Nós temos duas residências médicas. Nós temos aqui o nível 3, que é o máximo no Brasil. Nós temos ISO 14.000. Nós temos vários prêmios”, destaca.

“Ninguém, depois que utilizamos essa cápsula, ninguém, funcionário nosso, caiu de Covid. E esse pessoal que está nos recriminando estão fazendo lives de escritório. Nós estamos aqui na UTI, dentro do hospital”, completou. Veja uma apresentação abaixo: