"A corrupção é uma serial killer que mata em silêncio", diz coordenador da Lava Jato

"A corrupção é uma serial killer que mata em silêncio", diz coordenador da Lava Jato

O procurador da República e coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagol, utilizou suas redes sociais, como de costume, para se manifestar mais uma vez contra a corrupção sistematizada no Brasil.

Dallagnol chamou atenção para às consequências da corrupção no âmbito da vida pública, apontando alguns efeitos "silenciosos", mas sentidos por todos. "Pacientes sem tratamento de saúde, enquanto o $ é desviado. Crianças sem aulas, enquanto o $ é desviado", exemplificou ele.



O alerta acompanhou uma imagem contendo uma frase dita por Dallagnol, dizendo que "a corrupção é uma serial killer que mata em silêncio". Com isso ele conclui que "falta de remédios, ruas esburacadas, comida mais cara na mesa. É isso que a corrupção faz, diariamente".

O procurador Deltan Dallagnol vem cada vez mais se tornando alvo de ataques. Dessa vez, não dos corruptos que ele vem investigando e denunciando, apenas, mas também dos colegas de profissão, isto é, magistrados que ocupam cargos nas Supremas Cortes do país.

Para entender o motivo desses ataques que partem também do judiciário, leia: "Entenda como Dallagnol pode estar sendo vítima de uma armação judicial".


COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.