Opinião Crítica - A Neurose Estudantil e as Manifestações no Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por: Heuring Felix Motta
Instituto John Owen

O genial psiquiatra Viktor Frankl chama estes grandes movimentos impulsionados por ideologias de neurose de massa ou neurose sociogênica.

Pelo sentimento de vazio existencial, facilmente são seduzidos pelo canto da ideologia, e reprogramados para ter um falso sentido de vida que o ilude numa suposta felicidade, virtual felicidade. Frankl afirmava que seria o grande mal desta época, sua tese está comprovada.

O estudante de hoje não suporta horas de aula, ele é acometido por uma inquietação que não se pode deter. O sujeito precisa de um ambiente festivo, de aventuras ilegais e de sexo líquido, sem trabalho. Claro que isto não ocorre somente no Brasil, é um fenômeno mundial que se concentra em jovens.



O vazio existencial acontece pela real falta de sentido. O estudante não ver relevância para contribuir na sociedade com seu esforço para educar-se, e no futuro trabalhar para criar relações com o próximo, é 'esforço demais' para ele. Ele abraça as manifestações ideológicas e se reduz a pauta, fácil e sem trabalho.

O que vem depois no dia seguinte? A realidade nua e crua! E como ele reage? Tédio e apatia! Vai precisar novamente desta euforia (cocaína ideológica) para se sentir vivo e importante - quem fornece? O professor engajado com as causas ''revolucionarias''.

Neste processo os valores da família são eliminados passo a passo. A perda das tradições agrava ainda mais o quadro, outras figuras que não são do arco da família passam a ser referências. O processo educativo moral que é da família é transferido para o professor, este estudante será remodelado segundo a imagem construída pela ideologia.



Frankl afirma que neste processo o jovem muitas vezes nem sabe o que deseja fazer, não sabe nem o porquê da manifestação, nem o tema. Ele está naquele ambiente porque seu professor sugestionou em sala ou prometeu compensações, notas. Frankl diz: ''Faz aquilo que o outro deseja que seja feito''. São vítimas, presas ou do conformismo - ou do totalitarismo.

E ontem? Há centenas de videos que testemunham sobre este ambiente e o comportamento dos jovens. Alguns não tinham a mínima ideia das pautas, dos temas da manifestação. Estão ali porque seu professor ativista cancelou a aula e exigiu presença. A tese de Viktor Frankl foi mais uma vez provada na manifestação do dia 15 de maio de 2019.

Veja e ouça o link de um dos vídeos dos estudantes nas manifestações de ontem - que circula na net:



COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.