Menino de 9 anos é acusado de matar a própria mãe e ameaçar esfaquear a irmã mais nova

Menino mata a própria mãe

MICHIGAN, 9 de maio (Fox News) - Um garoto de Michigan de 9 anos foi acusado de homicídio pela morte da própria mãe, revelaram documentos judiciais.

O menino também foi acusado de usar uma arma de fogo durante o cometimento do crime, de acordo com os documentos judiciais arquivados na Corte do Condado de St. Joseph na terça-feira (7). A mulher teria sido baleada com um rifle.

O menino estava passando por uma avaliação psiquiátrica em uma instituição juvenil estadual.

A mulher foi encontrada morta na segunda-feira em Fawn River Township, disse o promotor John McDonough à WWMT-TV de Kalamazoo. Não ficou claro se o menino será julgado como adulto ou juvenil. Os detalhes em torno do homicídio não foram liberados imediatamente.


O menino parecia ter um histórico de fúria. Alecia Pieronski disse à WWMT-TV que o menino ameaçou esfaquear sua filha de 8 anos no ano passado. Ela disse que contou ao diretor da escola primária sobre o incidente, mas nada foi feito.

“Meu desejo era retirá-lo da escola e proteger os alunos. Eu sinto de todo o meu coração que os professores e diretores fizeram tudo o que puderam fazer”, disse Pieronski à estação.

O superintendente das Escolas Públicas de Sturgis, Arthur Ebert, divulgou uma declaração, mas não mencionou a criança.


"Como distrito, é nosso objetivo fornecer apoio aos nossos alunos, funcionários e comunidade", disse Ebert. "Estamos limitados no que podemos compartilhar devido às leis de privacidade e à natureza sensível dessa tragédia.".

Comentário:

Os indícios apontam que a criança possui problemas psicológicos. A título de especulação, talvez, um perfil psicopata. Entretanto, esses diagnósticos psiquiátricos são polêmicos e há muitos profissionais que discordam deles. É preciso conhecer profundamente o contexto vivencial da criança para entender a situação.


O fato da mãe alertar os professores sobre o comportamento do filho indica que ela sabia com o que estava lidando dentro de casa. Nesse caso, a mãe parece ter sido irresponsável ao deixar disponível uma arma de fogo em sua residência. Mesmo tomando os devidos cuidados, quando se trata de perfis doentios, é possível burlar regras e manipular pessoas em prol do que se deseja.

Isto não significa que o crime não poderia ter sido cometido de outra forma. Facas e outros tipos de armas presentes na casa de qualquer pessoa poderiam ter sido usados. A motivação do crime não está na arma, em si, mas na índole criminosa e doentia de quem o comete. Todavia, quando se tem conhecimento de que há pessoas pendentes para isso, deve-se evitar a facilitação para elas.


Este caso demonstra duas coisas claramente: 01 - problemas psicológicos podem ser tão graves quanto qualquer outra patologia e devem ser levados a sério; 02 - não se deve possuir armas de fogo em um ambiente onde há pessoas mentalmente problemáticas.

Comentário: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.