Mulher com câncer se recusa a abortar e surpreende: "os médicos não sabem tudo"

Mulher com câncer se recusa a abortar e surpreende: "os médicos não sabem tudo"

Sarah Wickline Hull estava grávida de 20 semanas quando foi diagnosticada com um câncer agressivo. É o pesadelo de toda mãe grávida. Os médicos disseram a ela que, para salvar sua própria vida, ela teria que abortar o feto.

Sarah havia sofrido anos de infertilidade antes de engravidar e não estava disposta a desistir de seu bebê sem lutar. Na verdade, ela não estava disposta a desistir do seu bebê de forma alguma. "Eu sabia que preferia morrer e dar à luz", escreveu ela em sua página no Facebook.



Seus médicos não eram plenamente simpáticos. Um deles até apresentou uma lista de possíveis problemas se Sarah ficasse com o bebê. Não conseguindo nada, exceto alimentando a incredulidade e determinação de Sarah, às palavras do médico não fizeram efeito.

Ela havia decidido: “Eu me mantive firme e recusei”, declarou Sarah.

Sem o apoio total da sua primeira equipe médica, Sarah saiu em busca e acabou encontrando médicos que concordaram em apoiá-la durante o resto da sua gravidez, junto ao seu tratamento contra o câncer.



O caso de Sarah não foi o único, mas foi difícil encontrar uma equipe de médicos que concordassem plenamente com o desejo de Sarah de continuar com sua gravidez, acima e além das suas preocupações com sua própria vida. Mas foi isso o que ela fez.

Uma criança saudável


Sarah deu à luz uma linda menina às 34 semanas; uma gravidez perfeitamente saudável e uma filhinha totalmente ilesa. Isso aconteceu há 10 anos.

"Eu tenho uma filha saudável, linda, brilhante, preciosa de 10 anos que é um lembrete vivo de que os médicos não sabem tudo", compartilhou Sarah em sua mídia social. “Eu vou celebrar 10 anos sem câncer em maio”.



Desde que a sua história foi compartilhada no Facebook, o post inspirador obteve uma reação esmagadora, conquistando mais de 850.000 likes e tendo sido compartilhado mais de 300.000 vezes.

Um usuário da rede social escreveu: “Seu testemunho é verdadeiramente inspirador para Sarah!”

Sarah, esposo e suas duas filhas atualmente.

Enquanto outro escreveu: “Obrigado por sua fidelidade, confiança e coragem! Eu me maravilho como Deus fala conosco através dos outros. Sua tenra história é uma poderosa testemunha da luz que expulsa às trevas”.

Comentário:



A decisão em uma circunstância tão difícil como essa é muito singular. Só quem enfrenta sabe o quanto deve ser difícil conciliar o sonho de ser mãe e a luta contra um câncer. Em todo caso, vale muito a pena considerar que diante de tamanho desafio, no caso de Sarah, a esperança, a fé e o amor venceram o medo.

Talvez Sarah não sobrevivesse, mas sim sua filha. Talvez ambas não sobrevivessem. No fim das contas, o final entregaria sua própria lição e sem dúvida alguma, o que restaria dele, na pior das hipóteses, seria o legado de uma mãe determinada em abdicar de si mesma para dar a sua filha a chance de viver.

Felizmente, o final foi o melhor possível. Parabéns, mamãe!

Comentário: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.