Desempregada, mulher devolve R$ 2 bilhões depositados por engano em sua conta

Desempregada, mulher devolve R$ 2 bilhões depositados por engano em sua conta

Imagina estar com o saldo negativo na sua conta no banco e do nada serem depositados mais de R$ 2 bilhões. Foi isso o que aconteceu com a desempregada Leizimar Silva Triers, de 35 anos, mãe de quatro meninas, sendo três trigêmeas de 1 ano. Moradora de Anápolis, a 55 quilômetros de Goiânia, ela disse não ter tido dúvida em procurar a Caixa Econômica Federal para devolver o dinheiro.

A Caixa informou que a cliente conseguia visualizar o saldo da quantia, mas não era possível fazer o saque do valor. (veja a nota abaixo na íntegra)


A história começou no dia 11 de abril, quando Leizimar foi consultar o seu extrato bancário no aplicativo do seu banco no celular e viu que tinha saído do saldo negativo de R$ 470 para R$ 2,28 bilhões.

“Eu fiquei surpresa demais. O lançamento foi feito no dia 11, mas eu notei no dia 13, era um sábado, e então esperei chegar segunda-feira para procurar a gerente do meu banco para entender o que tinha acontecido”, contou.


Segundo Leizimar, a gerente informou que foi um erro no sistema e que ela poderia ter que responder de alguma forma caso tivesse usado o dinheiro. Recentemente um caso de depósito por engano foi parar na polícia. Um empresário recebeu indevidamente R$ 18 milhões, em Goiânia, e tentou usar o dinheiro comprando um porsche.

“Não precisava nem do alerta dela. Eu jamais usaria um dinheiro que não era meu, tanto que tive três dias e não mexi. A gente não perde nunca quando é honesto. Vou poder contar para as minhas filhas que a mãe delas recebeu um dinheirão e devolveu. A mudança começa dentro de casa”, disse.

Dificuldade financeira



Leizimar mora com o esposo Mailton e as quatro filhas, Rayssa, de 14 anos, e as trigêmeas Kaylane, Yasmim, Maria Alice, que vieram de uma gestação natural. Todos vivem, segundo ela, com uma renda mensal de R$ 1.500, que vem do emprego do marido.

“Mesmo a gente passando por certa dificuldade, porque cuidar de trigêmeos fica puxado com fraldas e outros gastos, nós preferimos nossa consciência tranquila”, afirmou Leizimar, ressaltando que a conta bancária voltou a ficar no vermelho.

Pagando os financiamentos de uma casa em um residencial na Vila Formosa, e de um carro, ela e o marido se esforçam para tentar alguns bicos e realizar um sonho neste momento.


“Queremos construir um quarto para as meninas, porque hoje elas ainda dormem com a gente. Eu digo que o maior prêmio que tenho são as minhas filhas. Elas são os meus verdadeiros tesouros e não tem dificuldade que vá mudar isso”, finalizou Leizimar.

Comentário:

De um lado, um empresário. Do outro, uma mãe de quatro filhos desempregada. O primeiro, usou os milhões depositados por engano em sua conta para comprar um carro de luxo. A segunda, não retirou um centavo, mesmo tendo dificuldades para sustentar às filhas recém-nascidas.


É importante destacar a atitude de Leizimar, mesmo que ela deva ser encarada como esperada e natural, porque isso demonstra o quanto a índole criminosa de uma pessoa não diz respeito à posição ou classe social, mas ao seu caráter, de fato.

A mulher desempregada poderia usar sua condição financeira como "justificativa" para, quem sabe, comprar algo de muito valor para sua família, mas não fez isso, provando que ninguém é uma vítima passiva diante do contexto em que vive. Todos são responsáveis por suas escolhas.

Fonte: G1
Comentário: Will R. Filho

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.