"Nenhum ministro está trabalhando menos do que 15h por dia neste governo", diz Damares


A ministra Damares Alves concedeu uma entrevista para o "Jorna da Manhã", da rádio Jovem Pan, onde comentou a recente notícia de que ela deixaria o cargo que ocupa no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, segundo informações da revista Veja.

Damares desmentiu a Veja, dizendo que não deixará o governo e que ficará no cargo "até o dia que o presidente Bolsonaro precisar de mim, entender que eu sou útil, e até minha saúde aguentar.".



Por outro lado, Damares confirmou que vem recebendo ameaças de morte e que precisou mudar de endereço, seguindo recomendações do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Outro detalhe revelado pela ministra, neste caso, confirmado, foi acerca do seu cansaço físico.

"Quando fui convidada para ser ministra, já estava pedindo aposentadoria, estava parando por um processo de cansaço, de exaustão", disse Damares, indicando que isso lhe preocupa mais do que às próprias ameaças de morte. "O problema não são as ameaças, é o processo de cansaço e exaustão".



O motivo dessa "exaustão", segundo Damares, seria o excesso de trabalho no governo Bolsonaro, algo que para à população, obviamente, é um bom indicativo.

"Nenhum ministro está trabalhando menos do que 15h por dia neste governo. De 15h a 18h por dia", disse a ministra, concluindo que mesmo sob tal condição, não deixará seu cargo, visto que ainda há muitos compromissos.

"Não vou deixar o governo, não. Tenho muita coisa para fazer, para desenvolver.", concluiu, segundo informações de O Globo.




COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.