Papa nomeia arcebispo pró-LGBT para Arquidiocese de Washington e católicos reagem


04 de abril de 2019 - O Vaticano anunciou hoje que o arcebispo Wilton D. Gregory, de Atlanta, será o sucessor do cardeal Donald Wuerl, na Arquidiocese de Washington DC, uma das mais proeminentes dos Estados Unidos.

Inúmeros fiéis católicos estão indignados com a nomeação de Gregório. O arcebispo tem um histórico de demonstrar apoio à homossexualidade, ao contrário do ensino católico, juntamente com outras posições não ortodoxas.


O grupo "Leigos Católicos para os Bispos e Reformas Ortodoxos" exortou a Santa Sé a "procurar um candidato digno sem laços com Joseph Cardinal Bernardin, Theodore McCarrick ou Donald Cardinal Wuerl".

“A Arquidiocese de Washington precisa de um pastor digno, com um histórico comprovado de ensinar e praticar a plenitude da fé católica. Precisamos de um líder robusto para o catolicismo, com o Coração de Cristo, focado na mensagem do Evangelho, não na política liberal”, disse o grupo no início desta semana, quando surgiram os rumores sobre a nomeação de Gregory.


Em um comunicado à imprensa de hoje, o grupo disse que "continua pedindo um pastor digno que será um professor robusto da fé católica e defensor da moral católica".

“Continuamos também procurando em nome dos leigos uma melhor comunicação com a hierarquia e a Santa Sé. Estamos prontos para trabalhar com o arcebispo Gregory para atingir esses objetivos”, afirmou.


O arcebispo Gregory disse que estava grato ao papa pela nomeação.

"Estou profundamente grato ao Papa Francisco por esta nomeação para servir a arquidiocese de Washington e para trabalhar com todos os membros desta comunidade de fé", disse ele. "Estou ansioso para encontrar e ouvir as pessoas desta Igreja local como abordamos as questões que enfrentamos e continuamos a crescer no Amor de Cristo que nos sustenta".

O apoio de Gregory à agenda LGBT é de conhecimento público. Como chefe da Arquidiocese de Atlanta, Gregory demonstrou uma vontade acrítica de aceitar a ideologia LGBT. Suas ações incluem práticas como:


Convidar pessoalmente o conselheiro do vaticano pró-gay, pe. James Martin, para um discurso intitulado “Mostrando boas-vindas e respeito em nossas paróquias aos católicos LGBT”, na Paróquia St. Thomas More e no Santuário da Imaculada Conceição em Atlanta;

Permitir que o Santuário da Imaculada Conceição (Atlanta, GA) atuar como um centro para eventos LGBTs, incluindo encontros sociais LGBTs, além de participar da Parada do Orgulho da cidade, entre outros exemplos.


Desde 2014, o grupo “católico” pró-homossexual e pró-transgênero, Fortunate and Faithful Families, realiza retiros em sua Chancelaria de Atlanta, enquanto Gregory, pessoalmente, reza missa para o grupo.

Os leigos católicos já estão assinando uma petição para ser enviada ao Papa Francisco pedindo que ele interrompa a nomeação.

“Os fiéis e ortodoxos católicos americanos se opõem a esta nomeação e pedem ao Santo Padre que intervenha diretamente para impedir que isso aconteça”, declara a petição, publicada no portal LifeSiteNews.

“Instalar conscientemente um homem que se afasta flagrantemente do ensino moral católico para Washington, DC, sugere que o Vaticano não parece se importar em ouvir os católicos norte-americanos que frequentam a Igreja”, acrescenta.

Fonte: LifeSiteNews

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.