"Novela da Globo promove aborto e o pior do feminismo", alerta psicóloga Marisa Lobo

Marisa Lobo alerta sobre a influência da novela sobre os adolescentes. Imagem: Opinião Crítica

Não é novidade para ninguém que o principal instrumento de modelagem cultural da Rede Globo são às novelas. De cena em cena, edição por edição, os produtores da emissora implementam a agenda ideológica que seguem, tendo como objetivo alcançar a população através da TV, aos poucos, influenciando gradualmente o modo como a realidade é interpretada.



A nova novela das seis, "Órfãos da Terra", seguirá esta mesma lógica, e já no primeiro capítulo a emissora dos Marinhos deixou claro que não economizará na "lacração", restando ao telespectador decidir transformar ou não a sua casa em uma fonte de renda para a Rede Globo, através da sua audiência.

A psicóloga cristã Marisa Lobo, conhecida por seu ativismo pró-família e luta contra o ativismo LGBT nos Conselhos de psicologia, comentou a estreia da novela alertando aos pais sobre o perigo da influência que ela poderá exercer sobre a mente de seus filhos.



"Órfãos da Terra? Ou pano de fundo para promoção de agendas esquerdistas subversivas?", questionou a psicóloga em sua rede social. "[A] nova novela da Globo já no primeiro capítulo promove aborto e peitos de fora em ato feminista".

Marisa explica que as cenas de mulheres com a frase "meu corpo, minhas regras", fazem alusão à legalização do aborto, pois se trata de uma referência "usada pelas abortistas, escrita no ventre das atrizes, frases, cartazes, símbolos. Ou seja, o pior do feminismo sendo louvado".

A psicóloga também explica que sempre há uma espécie de justificativa para que a Rede Globo promova tal ativismo ideológico. No caso da novela "Órfãos da Terra", será o discurso de "violência contra a mulher" e "defesa da mulher", usados como "pano de fundo" para a promoção do ativismo ideológico feminista.



Outro tema utilizado para fins de manipulação, segundo Marisa Lobo, será o problema da imigração. "A Globo nas entrelinhas quer o quê? Promover aborto, o feminismo como método 'revolucionário' instigando pré adolescentes, induzindo ao erro, fazendo os desatentos apoiarem pela via da manipulação psicológica suas agendas esquerdistas, usando a dor dos refugiados", destaca a psicóloga.



"A sociedade tem que aprender para não se deixar manipular. A Globo nunca é fiel aos temas que diz defender, apenas usa dores, sofrimento, para de forma sorrateira militar em sua politica esquerdista subversiva", continua a psicóloga, alertando em seguida para a responsabilidade dos pais em cuidar dos seus filhos, visto que a novela é transmitida em horário nobre.

"Cuidem dos seus pré adolescentes, pois esta novela vai doutrinar crianças e toda a sociedade. Crianças de 12 anos e muito menos estão assistindo", conclui Marisa.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.