Jornalista do Estadão que atacou Bolsonaro e teve resposta irônica exclui conta do Twitter

Dener Giovanini proferiu ofensas contra Jair Bolsonaro no Twitter, excluindo sua conta posteriormente. Reprodução: Google

Parece que a tentativa do jornalista do Estadão, Dener Giovanini, de atacar o presidente da República com ofensas pessoais, não repercutiu muito bem para a sua reputação profissional. Isso porque, poucas horas após ser divulgado o episódio vergonhoso protagonizado por ele, o mesmo excluiu a sua conta no Twitter.

Poucas tempo atrás o perfil de Dener estava disponível, conforme demonstra a captura de tela abaixo, nos resultados do Google. Note que logo acima aparece uma matéria do portal Terça Livre com a data em que a pesquisa foi realizada:


No entanto, ao procurar o perfil do jornalista no Twitter, agora aparece a seguinte mensagem:



O caso foi publicado algumas horas atrás aqui mesmo no Opinião Crítica, destacando a resposta irônica de Jair Bolsonaro, que ao invés de se deixar levar pelas ofensas pessoais, preferiu tirar sarro do jornalista, ironizando a sua atitude agressiva. Veja na imagem abaixo:

Essa não foi a única mensagem ofensiva de Dener Giovanini contra Jair Bolsonaro. Na sequência de mensagens no Twitter, o mesmo seguiu proferindo palavras chulas contra o presidente, com extrema arrogância e deixando claro o viés pessoal, o que poderia ser interpretado até como crime.

Considerando que se trata de um jornalista do Estadão, mídia que já foi envolvida em março passado em uma polêmica com a Terça Livre, após a divulgação de uma matéria onde a também jornalista, Constança Rezende, insinuou haver uma articulação da imprensa para militar contra o governo, é muito provável que Dener tenha sido pressionado para apagar a sua conta, na tentativa de evitar novos confrontos.


Desde março passado o Estadão vem realizando anúncios patrocinados no Facebook, a fim de adquirir novas assinaturas, após a hashtag #estadãomente entrar para os top trends do Twitter. Para entender como isto se relaciona com o fim da mídia tradicional, leia: "Lives semanais de Bolsonaro no Facebook decretaram o fim da mídia tradicional no país".

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.