Jogador perderá contrato milionário por fazer postagens consideradas "homofóbicas"

Jogador fez postagens bíblicas contra a homossexualidade
O jogador Israel Folau citou passagens bíblicas contra à homossexualidade. Reprodução: Google

O jogador de rúgbi australiano Israel Folau está enfrentando uma acusação que pode lhe fazer perder um contrato milionário com o time Wallabies. Ele foi chamado de "homofóbico" após fazer algumas postagens em sua rede social citando passagens bíblicas que condenam o comportamento homossexual.

"O inferno aguarda bêbados, homossexuais, adúlteros, mentirosos, fornicadores, ladrões, ateus e idólatras", escreveu o jogador em seu Instagram no início desse mês, acrescentando que eles deveriam "se arrepender".


Depois de receber uma notificação do clube por suposta "violação de conduta", Folau se encontrou com autoridades do Rugby Australia e do New South Wales Rugby Union para uma reunião privada na sexta-feira, dizendo que lutará por seu contrato, visto que o jogador considera ter exercido o seu direito à liberdade religiosa e de consciência, como qualquer cidadão.

"O Rugby Australia e o NSW Rugby Union se reuniram com Israel Folau em Sydney hoje", disseram eles em um comunicado, segundo informações do portal Christian Today, destacando que a intenção de romper o contrato do jogador continua mantida:


"Como a reunião foi realizada em sigilo entre o jogador e seus empregadores, a Rugby Australia e a NSW Rugby Union não comentarão as discussões na reunião. Após a reunião de hoje, as duas organizações atualizarão seus respectivos Conselhos sobre o assunto para considerar os próximos passos. Nossa posição conjunta em relação a Israel Folau é inalterada".

No ano passado Folau enfrentou um processo parecido com o atual. Na ocasião, ele respondeu à pergunta de um internauta, também em sua rede social, sobre qual seria o destino dos gays após á morte. O jogador, que é cristão, disse que seria o "inferno", "...a menos que se arrependam de seus pecados e se voltem para Deus".


Apesar da ameaça de perder seu emprego e também das críticas politicamente corretas, o atleta firmou compromisso com a sua consciência e não abriu mão do que pensa, dizendo que mais importante é a sua fé.

"Eu preferiria perder tudo - amigos, família, posses, minha carreira no futebol - e ainda ficar com Jesus, do que ter todas essas coisas e não ficar ao lado Dele", disse Folau.

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, que defendeu o jogador no ano passado, disse que dessa vez faltou sensibilidade no mesmo. "É importante que as pessoas ajam com amor, carinho e compaixão para com os seus concidadãos e falem com sensibilidade para com os seus compatriotas australianos", disse ele.


A fileira se espalhou para a Inglaterra depois que o jogador do Saracens, Billy Vunipola, gostou do posto de Folau. Ele ficou sob pressão ao contrário do post, mas explicou em uma atualização do Instagram por que ele estava se recusando a fazê-lo.

Os patrocinadores do jogador e seu clube, além da associação nacional de rúgbi, alegam que a postagem, segundo eles, de conteúdo "homofóbico", é incompatível com às políticas de inclusão que adotam, justificando por isso a intenção de romper o contrato do atleta.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.