Quase 100 funcionários abortistas desistem de trabalho após verem "Não Planejado"

Funcionários de clínicas de abortos desistem de trabalho após o filme "Não Planejado"

Chuck Konzelman, diretor do filme "Não Planejado", da Pure Flix, revelou ao Congresso Americano nesta semana que quase 100 trabalhadores de clínicas de aborto quiseram deixar os empregos depois de assistirem o filme.

Durante seu depoimento ao Subcomitê Judiciário do Senado sobre a Constituição, Konzelman disse que 94 trabalhadores da clínica se aproximaram da organização sem fins lucrativos de Abby Johnson,  ex-funcionária da clínica abortista Planned Parenthood, e Then There Were None.



O cineasta da Pure Flix estava no Capitólio para falar em uma reunião sobre a suposta censura do Twitter ao filme "Não Planejado". No final de semana de estréia, no final de março, a plataforma de mídia social  suspendeu temporariamente a campanha promocional do filme.

"Não planejado" narra a carreira de oito anos de Johnson na Planned Parenthood e sua conversão ao movimento pró-vida depois que ela assistiu a um médico realizar um aborto via ultrassom.



Ashley Bratcher, a atriz que interpreta Johnson no filme, twittou na quinta-feira que ela recebe mensagens "todos os dias" de pessoas cujas vidas - e mentes - foram transformadas depois de ver o filme "Não Planejado".

O filme superou as expectativas de bilheteria para o fim de semana de abertura, arrecadando US$ 6,1 milhões - mais que dobrando os lucros previstos.

Fonte: CBN News

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.