Consumo exagerado de bebida alcoólica reduz o crescimento cerebral dos jovens, aponta pesquisa


Um estudo publicado hoje na revista eNeuro, mostra que o uso exagerado de álcool reduz a taxa de crescimento do cérebro em 0,25 mililitros por ano para cada grama de álcool consumido por quilo de peso corporal. Em termos práticos, isso equivale a quatro cervejas por dia. A pesquisa envolveu macacos rhesus macacos do Oregon National Primate Research Center.

"A intoxicação alcoólica por álcool reduziu a taxa de crescimento do cérebro, da substância branca cerebral e do tálamo subcortical", escreveram os pesquisadores.


Os pesquisadores mediram o crescimento do cérebro através de imagens de ressonância magnética de 71 macacos rhesus que consumiram álcool de forma voluntária. Os cientistas mediram com precisão a ingestão, dieta, horários diários e cuidados de saúde, descartando, assim, outros fatores que tendem a confundir os resultados em estudos observacionais envolvendo pessoas.

As descobertas do estudo ajudam a validar pesquisas anteriores que examinam o efeito do uso de álcool no desenvolvimento do cérebro em pessoas.

“Estudos em humanos baseiam-se no auto-relato de bebedores menores de idade”, disse o co-autor da pesquisa, Dr. Christopher Kroenke, professor associado da Divisão de Neurociência do centro de primatas. "Nossas medidas apontam o consumo de álcool com um crescimento cerebral prejudicado."



O novo estudo é o primeiro a caracterizar o crescimento cerebral normal de 1 mililitro por 1,87 anos em macacos rhesus no final da adolescência e início da idade adulta. E ainda revela uma diminuição no volume de áreas distintas do cérebro devido ao consumo voluntário de etanol.

A principal autora da pesquisa, Dra. Tatiana Shnitko, professora assistente de pesquisa na Divisão de Neurociência do centro de primatas, disse que pesquisas anteriores mostraram que o cérebro tem capacidade de se recuperar pelo menos em parte após a cessação da ingestão de álcool.


No entanto, não está claro se haveria efeitos a longo prazo nas funções mentais, pois o cérebro de adolescentes e jovens adultos termina sua fase de crescimento. O próximo estágio da pesquisa irá explorar essa questão.

"Esta é a faixa etária quando o cérebro está sendo ajustado para atender às responsabilidades dos adultos", disse Shnitko. "A questão é, a exposição ao álcool durante esta faixa etária altera a capacidade de aprendizagem da vida das pessoas?".

Por: Erik Robinson

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.