Na Hungria, Eduardo Bolsonaro detona a Venezuela: "É uma vergonha para a América Latina"

Eduardo Bolsonaro critica a Venezuela em viagem para Hungria
Eduardo Bolsonaro fez críticas ao governo socialista da Venezuela durante viagem. Reprodução: Google

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ), presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados e filho do presidente Jair Bolsonaro, fez nesta quarta-feira, em Budapeste, críticas ao socialismo da Venezuela e ao bilionário húngaro George Soros.

Eduardo comparou a situação da Venezuela à vivida pelo leste europeu no pós-Segunda Guerra Mundial, quando a Hungria e grande parte dos países da região viveram sob o domínio da União Soviética.


"Os venezuelanos não podem sair sozinhos dessa situação, muitos morrem de fome por uma situação similar à que a Europa viveu na Segunda Guerra Mundial. É uma vergonha para a América Latina", disse.

O deputado ainda afirmou que toda a América Latina era governada por presidentes socialistas e que as pessoas não querem mais isso, optando por governos de conservadores e defensores do mercado aberto, como, de acordo com ele, o próprio Jair Bolsonaro.


O filho do presidente [...] afirmou também que quer aprender com o governo nacionalista do primeiro-ministro do país, Viktor Orbán, como enfrentar George Soros, o bilionário de origem húngara apontado como inimigo por muitos partidos de extrema-direita na Europa.

 "Também não gosto de George Soros. Não gosto do politicamente correto e quero aprender sobre isso aqui na Hungria", disse Eduardo, que acusou o bilionário de financiar grupos radicais violentos, mas não especificou a que organizações estava se referindo.

Fonte: EFE/UOL

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo.